A literatura de viagem e o império das festas: os coroamentos dos Reis Congos no Brasil meridional oitocentista na visão dos viajantes

Priscila Maria Weber, José Martinho Rodrigues Remedi

Resumo


A presente comunicação pretende discutir as possibilidades e os limites do uso dos escritos literários nos estudos das humanidades, especificamente, a análise das representações sociais neles contidas como fontes para a história. Para tanto, utilizaremos excertos da chamada literatura de viagem em que são descritos os episódios de coroações de Reis Congos e as festas denominadas Congadas que tiveram lugar no Brasil oitocentista. Acredita-se que esse olhar estrangeiro que enfrenta um “estranhamento” ao deparar-se com o “outro” possa ser revelador, entre descrições de incompreensão, exotismo e jocosidade, de relevantes informações para uma melhor compreensão das festas e celebrações em questão.

Palavras-chave


texto literário. fonte histórica. representações culturais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v34i57.933

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo