Machado de Assis e a música: uma análise do conto “Trio em lá menor”

Maria Inês Werlang Ghisleni

Resumo


No conto “Trio em lá menor”, Machado de Assis utiliza elementos da teoria musical para designar, a partir do título, cada uma de suas partes: I Adagio cantabile, II Allegro ma non troppo, III Allegro appassionato e IV Minueto, relacionando-as ao próprio enredo do conto. Percebe-se ainda o intuito do autor de traduzir o que se passa no interior das personagens através da música. Maria Regina, protagonista da história, amava dois homens ao mesmo tempo: Maciel com 27 anos e Miranda de 50 anos. Desse cenário surge o triângulo amoroso. Na seqüência dos relatos, há a correspondência dos significados musicais com os acontecimentos, em cada uma das partes da narrativa. Há a presença permanente da sonata, como fundo musical durante todo o texto. Maria Regina não conseguia escolher entre os dois pretendentes porque ambos não a satisfaziam individualmente. Amava um ser ficcional que continha as características positivas de ambos. A indecisão de Maria Regina aborreceu aos dois homens até que perderam as esperanças e desistiram. Só, fitando o céu em busca de uma estrela dupla, Maria Regina incapaz de alcançar o astro esplêndido olha para dentro de si mesma e descobre duas grandes luzes. Em sonho, ouve que sua pena seria oscilar por toda a eternidade entre dois astros incompletos. Sua vida, uma eterna busca pela perfeição, seria sempre acompanhada do som da sonata do absoluto. Na medida em que a leitura transcorre emerge dos eventos e do conto todo um melhor entendimento do sentido da narrativa de Machado de Assis relacionado ao conhecimento da música.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v33i0.611

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo