HISTÓRIAS DE VIDA E TEATRO - ACONTECIMENTO CÊNICO NO ENSINO MÉDIO

Josiane Medianeira Soares

Resumo


A Escola de Educação Básica Educar-se, localizada junto à Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), apresenta em sua intencionalidade política a compreensão da formação dos estudantes como formação integral que busca contribuir com a

“(...) formação de um sujeito autônomo, criativo, crítico, sensível, solidário, comprometido e responsável por suas ações. Nesse sentido, a escola proporciona momentos de reflexão, de vivência e de lazer, para que o estudante possa construir seu projeto de vida coerente com valores morais e éticos (PPP EDUCAR-SE, 2015, pág 9)”.

 

Com esse propósito e a compreensão de que as artes possuem valor incalculável no percurso de vida dos estudantes, desde 2017, a Escola optou por oportunizar no Ensino Médio a formação nas três áreas da linguagem artística. Assim, ao chegarem nos últimos anos do ciclo da educação Básica, os(as) estudantes vivenciam as Artes Visuais, o Teatro e a Música divididas nos três trimestres do ano. Ao propor a alternância das linguagens artísticas no currículo, a escola proporciona não apenas o encontro com a singularidade de cada linguagem e meios técnicos específicos, mas propõe tornar esses momentos uma experiência sensível, poética e significativa para a vida do estudante.

Dessa intencionalidade e parceria da Escola para propostas que visam a formação integral, ou seja, humana e sensível do educando, emergiu o meu desejo de experimentação, como professora de teatro, em explorar a pesquisa em torno das narrativas poéticas de vida como processo de formação dos estudantes. Para tanto, busquei os princípios do Teatro Documentário, no que diz respeito a representação ficcional de fatos reais, ou seja, com documentação, a serem representados na linguagem teatral.

Segundo Pavis (2005, p. 387, apud Giordano, 2013), o Teatro Documentário é um “Teatro que só usa, para seu texto, documentos e fontes autênticas, selecionadas e ‘montadas’ em função da tese sociopolítica do dramaturgo”. No entanto, ao longo dos anos, o conceito de Teatro Documentário se ampliou e ficou mais difícil conceituá-lo e/ou encaixá-lo em apenas uma definição. Por essa abrangência do conceito, opto por nomear a atividade desenvolvida como “Acontecimento cênico” e não “Teatro Documentário”, pois a apresentação não foi limitada à cena teatral.

Esse acontecimento foi proposto aos alunos do 3º ano do Ensino Médio, no ano de 2018. Para a construção da apresentação do acontecimento cênico, os alunos foram provocados a olharem para o seu itinerário de vida e perceberem como se constituíram. Ou seja, olharem para si e transformarem alguma inquietação, paixão ou provocação no campo das artes. A sustentação teórica veio das leituras sobre narrativas (auto)biográficas e a inspiração nas práticas da pesquisadora e professora brasileira Drª. Maria M. Barreto Abrahão (2010), bem como das leituras da professora e pesquisadora francesa Drª Marie-Christine Josso (2010).

Em seus percursos, os estudantes fizeram um levantamento biográfico de elementos -documentos, fotos, histórias, músicas - que, ao longo dos anos estiveram presentes em suas vidas e /ou em sua formação cultural no mundo comum. Neste processo de elaboração, a provocação não ficou apenas no sentido das histórias de vida. Surgiu também a necessidade de pensarem um tema pessoal, de caráter e relevância social, ou seja, não apenas para abordar o tema escolhido de forma narcísica, mas que ele tivesse relevância mais abrangente.

O resultado foi a produção de, em sua maioria, registros audiovisuais de cunho artístico e auto reflexivo sobre seus percursos formativos de vida. Em algumas dessas, a história de vida se uniu à história de vida discente. Uma hipótese para essa linha tênue ter emergido pode estar relacionada ao fato de ser um final de ciclo - ensino médio -  no qual os alunos olharam seu percurso de vida e de escolarização e os relacionaram entre si, já que muitos deles estavam juntos desde o início da vida escolar.

Outras propostas trouxeram como tema a importância da dança, da poesia e da escola Educar-se em suas vidas. Também surgiram apontamentos sobre diferente preconceitos sofridos ao longo da vida desses estudantes, os quais foram abordados nas produções dos acontecimentos cênicos.

O trabalho teve resultado muito satisfatório no que se refere a produção de experiência auto narrativa. Se compreendermos a experiência como algo que perpassa o sujeito e esse incorpora o que foi vivido, então podemos dizer que suas produções cênicas alcançaram o objetivo de constituir uma experiência singular no coletivo da turma.  Para Josso (2010, p. 48), “vivemos uma infinidade de transações: vivências; essas vivências atingem o status de experiência a partir do momento que fazemos certo trabalho reflexivo sobre o que foi observado, percebido e sentido”.

Essa experiência vivida durante os encontros com o teatro na escola, no ano letivo de 2018, teve tamanho despertar pela potência poética das artes que se tornou o desejo de pesquisa para o mestrado em educação no ano de 2019. Compreender, estudar e produzir experiências no teatro, inseparável das artes, suas tecnologias e narrativas poéticas, foram mobilizadoras do desejo de pesquisar o campo das artes na educação como forma de, ainda que caótica, contribuir com o relato de uma experiência escolar potente em ideias, devaneios e paixões a serem consideradas como experiências formativas insubstituíveis nas histórias de vida dos estudantes.

 

Palavras Chave: Teatro; Acontecimento cênico; Histórias de vida; Formação.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.