EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O TRABALHO EM HOME OFFICE DE PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Ricardo Rosa, Éboni Marilia Reuter, Camila Dubow

Resumo


O home office é uma forma de trabalho utilizada em atividades laborais, designado a profissionais que podem desenvolver suas atividades por meio remoto, sem a necessidade de deslocamento à empresa física. Método este que ganhou proporções especialmente em 2020 com a chegada da pandemia da Covid-19. Esse método mudou a organização do trabalho em que criou-se um ambiente de trabalho domiciliar que muitas vezes não está adaptado às necessidades de cada indivíduo, seja pela falta de conhecimento em ergonomia ou pela indisponibilidade de materiais e mobiliário adequado. Surge, a partir disso, uma exposição do trabalhador a lesões musculoesqueléticas, como dor muscular, contratura, alterações posturais, cansaço visual, entre outros, e ainda uma influência negativa sobre o rendimento e desempenho das atividades comparado ao ambiente laboral presencial. Considerando estes aspectos, surge a necessidade de um planejamento e adequação do ambiente domiciliar para uma melhor eficiência e menor desgaste do trabalhador. Desta forma, o objetivo foi descrever um relato de experiência de uma oficina de educação em saúde para professores da rede municipal de educação, do município de Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul. A atividade foi realizada no dia 18 de setembro de 2020, dentro do programa Rede de Atenção e Saúde Unisc (Universidade de Santa Cruz do Sul), na disciplina de Estágio Supervisionado em Fisioterapia na Saúde Coletiva. A atividade foi executada em sala de aula, elaborado e apresentado por acadêmicos do curso de Fisioterapia da Unisc e coordenado pela professora orientadora do turno. Constituindo-se de uma apresentação através da ferramenta Google Meet com duração de aproximadamente 1 hora de material intitulado “Como ter um home office saudável”, a qual contemplou 100 participantes. Através da oficina foi possível ofertar instruções para adequação do ambiente, melhorando a ergonomia, iluminação, ruídos, postura corporal, organização das rotinas e ainda dicas práticas de adaptações. Outra abordagem enfatizada foi a importância de pausas entre as atividades com a orientação, demonstração e realização de alongamentos dos segmentos corporais. Os professores se mostraram interessados na temática, relatando que não observavam tais aspectos e estavam sentindo dores, mas que informados estavam dispostos a promover as mudanças sugeridas para melhoria da saúde e do conforto. A oficina se mostrou útil e instrutiva para os professores, que munidos das informações repassadas, podem encontrar alterativas de adaptar seu domicílio diante de suas realidades. Outro aspecto importante foi a percepção da importância e necessidade de informar os indivíduos que passaram a utilizar o domicílio como espaço de atividades laborais, sendo profissionais ou estudantes, para que pratiquem medidas preventivas, preservando assim a sua saúde.



ISSN 2764-2135