PRÁTICA DE AROMATERAPIA NA CLÍNICA FISIOUNISC E NO SERVIÇO INTEGRADO DE SAÚDE DA UNISC

Mariana Soares Preto, Kelly Rodrigues de Oliveira, Lisoni Muller Morsch, Chana de Medeiros da Silva, Hellen Teixeira de Moraes, Yasmin Nicoli Kappenberg, Emily de Araújo Drachler, Kelly Mariana Rodrigues

Resumo


A aromaterapia é uma prática integrativa e complementar prevista pela Organização Mundial da Saúde e regulamentada no Brasil pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no ano de 2017. É uma prática que estimula o olfato através do uso de extratos aromáticos que provocam efeitos fisiológicos, psicológicos e espirituais com intuito de auxiliar a capacidade natural do corpo humano de se reequilibrar física e emocionalmente, sendo utilizada como medida terapêutica, preventiva e de promoção à saúde. Sendo assim, bolsistas do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-saúde) promoveram a inserção da aromaterapia com a utilização do óleo essencial de lavanda durante os atendimentos de Fisioterapia do módulo de Recursos Eletrotermofototerapêuticos na Clínica FisioUnisc e na sala de espera do Serviço Integrado de Saúde (SIS), ambos na Universidade de Santa Cruz do Sul. Esta ação teve como objetivo potencializar os benefícios da aromaterapia à saúde dos pacientes, funcionários e alunos, além de disseminar os conhecimentos sobre esta prática, visando incentivar a sua utilização como medida de prevenção e promoção da saúde. Três difusores de cerâmica, cada um com oitenta gotas de água e oito de óleo essencial de lavanda foram aquecidos por lâmpadas e utilizados para aromatizar os ambientes durante quatro horas por dia nas três semanas de ação. Os frequentadores destes dois espaços também foram convidados a responderem um questionário sobre o conhecimento e satisfação da prática da aromaterapia recebida. Na Clínica FisioUnisc participaram vinte e oito pessoas, enquanto no SIS, todos os indivíduos que acessaram o serviço se beneficiaram da prática, dentre eles professores, alunos, funcionários e pacientes. Ao total, 38 participantes responderam o questionário, sendo que 73,7% eram do sexo feminino e 21,1% dos respondentes informaram que nunca ouviram falar sobre aromaterapia. Entretanto, 100% dos participantes gostaram de frequentar um ambiente aromatizado, entre eles, 89,5% classificaram a ação como muito boa e 10,5% como boa. As principais sensações relatadas foram calma e tranquilidade com 52,6% e 76,3% das respostas, respectivamente. Portanto, esta ação promoveu através dos benefícios do óleo essencial de lavanda, o equilíbrio do sistema nervoso e das emoções deste pequeno grupo de pessoas, além de oportunizar a apresentação desta prática e despertar o interesse dos participantes pela aromaterapia. Assim, a Universidade deve considerar promover regularmente atividades como esta, que contribuam com a manutenção da saúde, bem-estar, melhora na qualidade de vida e lazer de seus estudantes, funcionários e demais usuários.



ISSN 2764-2135