A CLOREXIDINA COMO SOLUÇÃO IRRIGADORA NA ENDODONTIA.

Pedro Henrique Ferreira de Menezes, Bruno Pereira Lançanova, Evandro Júnior de Oliveira, Luiza Nardini Buffet, Darion Ferreira, Jennifer Eduarda dos Santos da Silva, Camila Muller, Lucas Vinicius Fischer, Márcia Helena Wagner, Magda de Sousa Reis

Resumo


Introdução: A completa desinfecção dos canais radiculares é fundamental para o êxito do tratamento endodôntico. O uso de substâncias químicas auxiliares é essencial na remoção de microrganismos durante a instrumentação. Para isto, faz-se necessário que a solução química apresenta um largo espectro de ação antimicrobiana. A  clorexidina, em diferentes concentrações, tem sido profusamente empregada como substância química, com excelentes resultados, possuindo diferentes vantagens. Objetivos: Discutir a efetividade da Clorexidina como solução irrigadora na Endodontia. Metodologia: Realizado na base de dados do Portal de Periódicos da CAPES. Incluíram-se artigos originais, nacionais e internacionais, publicados entre 2010 e 2020. A coleta deu-se por meio dos descritores em português e em inglês: Clorexidina (Chlorhexidine); Endodontia (Endodontics) e Desinfecção (Disinfection), todos retirados do DeCS (Descritores em Saúde). Resultados: A clorexidina possui um amplo espectro de atividade antimicrobiana, tanto em bactérias aeróbias e anaeróbias, como em gram positivas e gram negativas, com ação bactericida ou bacteriostática, dependendo da concentração usada. Soluções mais concentradas (2%) são bactericidas, rompendo a membrana citoplasmática da bactéria, já em concentrações baixas (0,12%) tem efeito bacteriostático em que impede a síntese de ATP da bactéria. A clorexidina é eficaz pela sua penetração e substantividade dentro dos túbulos dentinários, menor tensão superficial, biocompatibilidade e baixo efeito prejudicial na microdureza e rugosidade da dentina radicular. A substantividade é caracterizada pela capacidade da substância de se unir a superfície da dentina e na proporção que sua  concentração  diminui, continuar  mantendo  o  efeito  no  local  por  um  longo  período de tempo. Já a menor tensão superficial da clorexidina facilita a maior penetração da solução nos túbulos dentinários. Outrossim, a biocompatibilidade se define por não ser irritante aos tecidos periapicais. Excelente em casos de dentes com ápices  abertos,  tratamento em polpa necrosada com rizogênese  incompleta e lesões refratárias. Contudo, a desvantagem  da  clorexidina é o fato dela não ser eficiente na dissolução de tecido orgânico. Conclusão: Mediante os estudos utilizados nesta pesquisa, inferimos que a clorexidina se apresenta como uma opção de solução irrigadora, devido suas características específicas de substantividade, baixa toxicidade e seu efeito antibacteriano. Todavia, não possui capacidade de dissolver tecidos orgânicos, limitando o seu uso.



ISSN 2764-2135