COMPARAÇÃO DO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO (VO2MÁX) ENTRE PRATICANTES DE CORRIDA DE RUA E CROSSFIT

João Guilherme Simonis, Lara Kipper Teixeira, Lisiane Lisboa Carvalho, Miriam Beatris Reckziegel, Náthalie da Costa, Andreia Rosane de Moura Valim

Resumo


Introdução: O CrossFit e a corrida de rua são esportes em constante crescimento e conquistam adeptos progressivamente, com objetivos independentes, seja ele socializar, competir ou a busca pela qualidade de vida. São dois esportes que recrutam processos fisiológicos e metabólicos diferentes durante o exercício. O CrossFit e caracterizado por exercícios de remo, pular corda, levantamento de peso, movimentos com barra e peso do corpo, predominando várias valências físicas, como a potência, agilidade, equilíbrio, coordenação, flexibilidade, força, velocidade e a resistência cardiorrespiratória. Já a corrida de rua é o ato de correr na rua, demandando movimentos cíclicos auxiliados à técnica, não necessitando ter uma habilidade específica, sendo possível realizar em qualquer espaço físico. Nosso sistema cardiorrespiratório trabalha oferecendo oxigênio e nutrientes a todos os sistemas do organismo. A aptidão para ambos os esportes resulta da prática regular de atividade física. A eficiência da utilização de energia deste sistema é avaliada pelo consumo máximo de oxigênio (VO2máx). Esse indicador é o mais fidedigno para avaliar a capacidade de resistência desse sistema, podendo ser utilizado como parâmetro para prescrever treinamento e avaliar a saúde do sujeito, sendo aplicado tanto para atletas quanto para não atletas. Objetivo: comparar o consumo máximo de oxigênio (VO2máx) entre praticantes de CrossFit e corrida de rua. Método: a presente pesquisa se caracteriza por um estudo transversal e observacional. A amostra foi dividida em um grupo de praticantes da modalidade CrossFit (n = 29) e outro grupo formado por praticantes de corrida de rua (n= 31), totalizando 60 sujeitos. Foram incluídos indivíduos de ambos os sexos, de idade entre 20 e 60 anos, que tinham tempo de mínimo de prática na modalidade igual a 2 meses, frequência de 3 vezes por semana ou mais e tempo mínimo de treinamento diário de 45 minutos. Foi realizado um questionário pelo Google Forms™, em razão da pandemia do covid-19, sendo disponibilizado um link aos participantes junto a um vídeo de forma explicativa como um convite em grupos de WhatsApp de grupos de corrida de rua e boxes de CrossFit. A coleta de dados, mediante a um agendamento, foi realizada no Laboratório de Atividade Física e Saúde (LAFISA), da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), aplicando-se o protocolo máximo de Bruce, em esteira ergométrica, além de uma avaliação antropométrica. Resultados: Foi constatado que os praticantes de corrida de rua obtiveram um VO2máx de média de 49,6 ml/kg/min ± 10,1 ml/kg/min e os praticantes de CrossFit uma média de 41,8 ml/kg/min ± 5,4 ml/kg/min, considerando p < 0,05. Conclusão: Esses dados sugerem que corredores de rua apresentam melhores resultados de VO2máx em relação aos praticantes de CrossFit, no que se refere a capacidade de resistência do sistema cardiorrespiratório.



ISSN 2764-2135