AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES CITO E GENOTOXICAS COMO UMA POSSÍVEL FORMA DE DETERMINAR TENDÊNCIAS DE REDUÇÃO O INCREMENTO DE TOXICIDADE DO LAGO DOURADO, SANTA CRUZ DO SUL - RS.

Lorenzo Javier Ramos Gessinger, Alexandre Rieger, Andrea Sánchez Barrios, Helena Wilges, Rosana Schneider Cassia de Souza

Resumo



Estudar os sistemas de água doce interessam a pesquisadores de diferentes áreas, já que a relação ambiente/ser humano/saúde estão interligados de forma intensa. Para o seu monitoramento é necessário entender as modificações que sofrem os lagos para avaliar variáveis que possam alterar a estrutura natural dos organismos (macro e micro) que habitam e auxiliam na manutenção da qualidade da água para o consumo humano. Foi avaliado de forma bimensal o período de 2019 do Lago Dourado durante 2019, apresentando diferenças para as estações do Verão e Inverno para o incremento e diminuição de cito e genotoxicidade. Sendo assim, consideramos a identificação de genotoxicidade nas águas do Lago Dourado nos pontos de entrada e saída, durante os meses do nosso estudo bianual, afim de entender as alterações presentes nos meses prévios as estações previamente avaliadas que apresentarão tendência a toxicidade para desenvolver uma melhor manutenção dos recursos hídricos/financeiros da cidade no futuro. Foram estudadas amostras de água coletadas nos meses de fevereiro, abril, junho, agosto, outubro e dezembro de 2019 nos pontos de entrada (PE) e saída (PS) do Lago Dourado. As amostras foram utilizadas para analisar a cito/genotoxicidade do lago, usando Allium cepa (Liliaceae) como nosso modelo. O estudo foi realizado em sementes livres de tratamentos. 15 sementes (por placa) foram expostas em papel filtro e embebidas com 3 mL de cada amostra. Utilizamos água destilada como Controle Negativo (CN), Sulfato de Cobre (3 mg/mL-1) como controle positivo (CP). As sementes foram expostas às amostras e colocadas em uma germinadora por 5 dias a 25ºC no escuro (quintuplicata). A hidrólise das raízes foi realizada com HCL 1N e coradas com orceína acética a 2%. O índice mitótico (IM) foi avaliado como a soma das células em divisões em 500 células observadas na região meristemática expressas em porcentagem. As aberrações cromossômicas totais (AC) foram expressas por mil células e foram usadas para determinar a genotoxicidade das amostras. Os dados foram analisados com GraphPad Prism 6.0, utilizando o teste não paramétrico Kruskal-Wallis considerando o nível de significância de p <0,05. O índice mitótico dos meses (IM) mostrou um leve incremento para o PE e PS quando comparados ao controle, mas não parecem ter diferencias significativas quando comparados o PE com o PS. Para as aberrações cromossômicas totais se observou diferente ao IM. Contudo, mesmo com pouca genotoxicidade, o PE apresenta tendência a ser toxico durante os meses de fevereiro e junho. Os resultados sugerem que existem diferenças significativas entre os pontos quando comparados com o controle negativo, mas ainda representam tendências de toxicidade quando comparados entre si ainda que não tenham diferencias significativas visíveis (provavelmente pela influência do Rio Pardinho e potencializado no Lago Dourado). Os dados nos permitem ter um melhor entendimento da dinâmica do lago em relação aos eventos tóxicos presentes nele e que acompanhados por outros parâmetros nos ajudam a descobrir quais são as melhores estratégias para estudar e monitorar as águas do lago Dourado.

 

Palavras chaves: genotoxicidade, Allium cepa, água




ISSN 2764-2135