Educação Popular na Agricultura Familiar: relato de experiência de ações de extensão universitária na formação médica

Autores

  • Jane Kelly Oliveira Friestino Doutora e Mestre em Saúde Coletiva. Professora Adjunta do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS. Pesquisadora colaboradora do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. https://orcid.org/0000-0002-5432-9560
  • Ana Paula Barasuol Rodrigues Acadêmica do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS https://orcid.org/0000-0003-4447-4008
  • Graciela Soares Fonsêca Doutora em Ciências Odontológicas. Professora Adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS https://orcid.org/0000-0001-9506-0409
  • Leonardo Moreira Damasceno Acadêmico do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS https://orcid.org/0000-0002-6606-2621
  • Fabiano Geremia Doutor e Mestre em Economia. Professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS campus Chapecó https://orcid.org/0000-0001-8263-5795

DOI:

https://doi.org/10.17058/agora.v23i2.16483

Resumo

Introdução: O Programa de Extensão Educação Popular, gestão e sustentação das organizações da Agricultura familiar constitui-se como um espaço para a Promoção da Saúde e para a inclusão de novos cenários pedagógicos aos estudantes. Nesse cenário, destacam-se as ações de prevenção e de promoção de saúde como essenciais para impactar favoravelmente a qualidade de vida da população, além de realizar uma conexão entre educação popular, agricultura familiar e saúde no campo. Objetivo: Relatar a experiência de desenvolvimento das rodas de conversas sobre temas diversos, com enfoque na alimentação saudável, realizadas com a população rural residente na área de abrangência de uma Unidade Básica de Saúde, local de práticas de formação do curso de medicina. Metodologia: As atividades ocorreram por meio da realização de rodas de conversas com lideranças e multiplicadores relacionados à agricultura familiar, em que os acadêmicos do curso de medicina de uma universidade pública da região Oeste de Santa Catarina, com temas relacionados ao cuidado com a saúde e com a alimentação. Processos avaliativos: O processo avaliativo foi estabelecido na dialogia: base-formador/multiplicador-coordenação pedagógica e articuladores políticos. Com isso, foram exercitados os princípios de formação democrática, equidade construtiva e adequações sistemáticas, de modo a agilizar os ajustes necessários e minimizar possíveis falhas que poderiam ocorrer na execução da proposta. Conclusões: As ações realizadas foram importantes tanto para o desenvolvimento regional como para a construção e disseminação de conhecimentos sobre alimentação e saúde para a prevenção de doenças crônicas.

Biografia do Autor

Jane Kelly Oliveira Friestino, Doutora e Mestre em Saúde Coletiva. Professora Adjunta do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS. Pesquisadora colaboradora do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Doutora e Mestre em Saúde Coletiva. Professora Adjunta do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS. Pesquisadora colaboradora do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP.

Ana Paula Barasuol Rodrigues, Acadêmica do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS

Acadêmica do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó

Graciela Soares Fonsêca, Doutora em Ciências Odontológicas. Professora Adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS

Doutora em Ciências Odontológicas. Professora Adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó

Leonardo Moreira Damasceno, Acadêmico do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó - UFFS

Acadêmico do curso de Medicina. Bolsista do Programa de Extensão Educação Popular e Agricultura Familiar. Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS campus Chapecó

Fabiano Geremia, Doutor e Mestre em Economia. Professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS campus Chapecó

Doutor e Mestre em Economia. Professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS campus Chapecó

Referências

BISCARDE, D.G.S.; PEREIRA-SANTOS, M.; SILVA, L.B. Formação em saúde, extensão

universitária e Sistema Único de Saúde (SUS): conexões necessárias entre conhecimento e intervenção centradas na realidade e repercussões no processo formativo. Interface, n. 18, v. 48, p. 177-186, 2014.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed., 1. reimpr. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 156 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas e agravos não transmissíveis no Brasil 2021-2030. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta. 1. ed.; 1. reimp. Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2013

BRASIL. Decreto nº 9810, de 31 de maio de 2019. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Regional. Brasília, 30 de maio 2019.

CZERESNIA, D.; FREITAS, C.M. (org.). Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2003.

GRISA, C.; TECCHIO, A.; CHECHI, L.A.; SABOURIN, E. As práticas produtivas e alimentares no espaço rural do Oeste de Santa Catarina: a ação pública na busca e na crítica à modernidade. Estudos Sociedade e Agricultura. 2020 fev-mai, v. 28, n. 1, p. 78-108.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário de 2017. Disponível em: <https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/. Acesso em: 15 abril 2021.

LIMA, Antônio Ernani Martins. A teoria do desenvolvimento regional e o papel do estado. Revista Análise Econômica, Porto Alegre, v. 1, n. 45, p. 65-90, mar. 2006.

NIEDERLE, S. L.; GUILARDI, L. Aspectos gerais do desenvolvimento socioeconômico nas regiões de Santa Catarina. Revista NECAT - Núcleo de Estudos de Economia Catarinense. Florianópolis, 2013. Disponível em: https://necat.ufsc.br/files/2011/10/Sidnei-2013.pdf. Acesso em: 15 abril 2021.

NUSKE, M.A.; GESSI, N.L.; ALLEBRANDT, S.L.; KELM, M. A saúde e sua relação com o desenvolvimento: um olhar crítico acerca da contribuição da saúde nas múltiplas escalas do desenvolvimento regional. VIII Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional, Santa Cruz do Sul, 2017.

PICOLOTTO, E.L. A formação de um sindicalismo de agricultores familiares no Sul do Brasil. Sociologias, Porto Alegre, ano 16, no 35, jan/abr 2014, p. 204-236

Downloads

Publicado

2021-07-27

Edição

Seção

Tema Livre