Arte, cultura, religiosidade e identidade: o caminho da mística das EFAs do Sul e a Escola Família Agrícola de Vale do Sol

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17058/agora.v23i2.16687

Palavras-chave:

Mística, Escola Família Agrícola de Vale do Sol, Educação do Campo, luta social

Resumo

Observamos nesse artigo, a mística, palavra envolta de simbolismos e que, de forma ampla, refere-se às atividades cercadas de criatividade e utilizadas na sensibilização à luta em movimentos sociais. Especificamente, consideramos a mística no âmbito da Escola Família Agrícola de Vale do Sol (EFASOL). A metodologia escolhida para apreciação e coleta dos dados tem por base os círculos de cultura e as entrevistas não-estruturadas, devido ao grau de autonomia dado aos sujeitos por estes instrumentos, bem como o seu caráter dialógico. O texto inicia com um breve histórico sobre o processo pedagógico das Escolas Famílias Agrícolas e as ferramentas utilizadas na Pedagogia da Alternância; posteriormente, trazemos o contexto histórico da mística, incluindo suas raízes religiosas, além da descrição da conversa tida com os integrantes da ONG Em Busca da Paz; logo após, relatamos as entrevistas realizadas nas EFAs de Minas Gerais, que inspirou a fundação das EFAs do Rio Grande do Sul; trazemos, posteriormente, a pesquisa feita com os estudantes da EFASOL. As místicas são luta, são movimento, são contra hegemônicas, lembram a todos nós, diariamente, porque estamos aqui e pelo que estamos lutando.

Biografia do Autor

Monique Aline Arabites de Oliveira, Escola Família Agrícola de Vale do Sol

Bacharel em Artes Visuais, com ênfase em Design de Superfície/Estamparia pela Universidade Federal de Santa Maria. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Antonio Carlos Gomes, Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul

Mestre em Desenvolvimento Regional (2014) e Bacharel em Serviço Social (2004), ambos pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC. Monitor/professor da área de Ciências Humanas e Sociais na Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul e membro da coordenação da escola.

Referências

BOFF, Leonardo. Ecologia, mundialização, espiritualidade. Rio de Janeiro: Record, 2008.

BOGO, Ademar. A arte e a mística na educação camponesa. In: CARVALHO, C.A.S.; MARTINS, A. A. [Orgs.]. Práticas artísticas do campo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

CARVALHO, C.A.S.; MARTINS, A. A. [Orgs.]. Práticas artísticas do campo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

CERQUEIRA, Márcia Cristina de Almeida; SANTOS, Célia Regina Batista. As escolas famílias agrícolas, a pedagogia da alternância e o caderno da realidade (2012). In: Anais do 1º Seminário Internacional e 1º Fórum de Educação do Campo da Região Sul do RS: Campo e Cidade em busca de Caminhos Comuns (pp. 1-15). Pelotas, RS. Disponível em:http://coral.ufsm.br/sifedocregional/images/Anais/Eixo%2004/Marcia%20Cristina%20de%20A.%20Cerqueira%20e%20C%C3%A9lia%20Regina%20B.%20dos%20Santos.pdf. Acesso em 20 de dezembro de 2018, às 18h08min.

COELHO, Fabiano. A prática da mística e a luta pela terra no MST. 2010. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados.

COMERLATTO, G. V. A dimensão educativa da mística na construção do MST como sujeito coletivo. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

COSTA, João Paulo Reis. Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul – EFASC: uma contribuição ao desenvolvimento da região do Vale do Rio Pardo a partir da pedagogia da alternância. 2012. 226 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) – Universidade de Santa Cruz do Sul.

DANTAS, Vera Lúcia; LINHARES, Ângela Maria Bessa. Círculos de cultura: problematização da realidade e protagonismo popular. Ministério da Saúde - II Caderno de Educação Popular em saúde. Disponível em: http://www.edpopsus.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/texto-2-4-cc3adrculos-de-cultura.pdf. Acesso em 20 de janeiro de 2019, às 20h.

DE BURGHGRAVE. Thierry. Vagabundos, não senhor Cidadãos brasileiros e planetários: uma experiência educativa pioneira do Campo. Orizona / GO: UNEFAB, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

GIMONET, Jean-Claude. Praticar e compreender a Pedagogia da Alternância dos CEFFAS. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

GUIMARÃES, Marcelo Rezende. Aprender a educar para a paz. Goiás: Ed. Rede da Paz, 2006.

GUIMARÃES, Marcelo Rezende. Educação para a paz: sentidos e dilemas. Caxias do Sul: Educs, 2005.

HAMMES, Lúcio Jorge. Aprendizados de convivência e a formação de capital social: um estudo sobre grupos juvenis. 2005. Tese (Doutorado em Educação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

MARCONI, A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação dos dados. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MINAYO, M. C. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, Vozes, 2002.

NASCIMENTO, Claudemiro Godoy do. A educação camponesa como espaço de resistência e recriação da cultura: um estudo sobre as concepções e práticas educativas da Escola Família Agrícola de Goiás – EFAGO. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Campinas, Campinas.

Ofício divino. Mosteiro do Salvador. Disponível em http://mosteirodosalvador.org.br/msba/index.php/oficio-divino. Acesso em 17 de maio, às 21h17min.

PRATES, J. C.; CARRARO, G. “Na prática a teoria é outra” ou separar é armadilha do capitalismo? Argum., Vitória, v. 9, n. 2, p. 161-171, maio/ago. 2017.

PUIG-CALVÓ, Pedro. Que orientação profissional é possível promover no ensino fundamental. Revista da Formação por Alternância: Brasília, v.1, n.1, p.22-36, 2005.

STRECK, E. R.; ZITKOSKI, J. J. [Orgs.]. Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

TOLEDO, M.C.B.M. Círculo de Cultura: Possibilidades da Pedagogia da virtualidade. [anais] IX Colóquio Internacional Paulo Freire: Paulo Freire – Educação e justiça social, 2016, Recife.

VERGÜTZ, Cristina Luisa Bencke. Aprendizagens na Pedagogia da Alternância da Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul.

Entrevistas:

DUARTE, Maria Rosania Lopes. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Araponga - Minas Gerais, 26 set. 2018.

GLASORESTER, Paulo Roberto. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Santa Cruz do Sul - RS, 20 abril 2019.

GOMES, Antônio Carlos. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Santa Cruz do Sul - RS, 20 abril 2019.

GOMES, Ismael. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Santa Cruz do Sul - RS, 20 abril 2019.

LIMA, Júlio Cézar Meazza de. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Santa Cruz do Sul - RS, 20 abril 2019.

OLIVEIRA, Gilmar. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Acaiaca - Minas Gerais, 25 set. 2018.

REPOLÊS, Renata Barcelos. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Sem Peixe - Minas Gerais, 25 set. 2018.

RODRIGUES, Deiviane. [Entrevista concedida a] Monique Arabites. Sem Peixe - Minas Gerais, 25 set. 2018.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Edição

Seção

Tema Livre