Políticas regionais na Argentina. Tensões entre o Estado, a governança e o espaço regional

José Vigil, Waldemar Ockstat

Resumo


Este trabalho é uma intervenção no recente debate teórico e empírico sobre as características das políticas de desenvolvimento econômico regional e sua dinâmica de governança com uma análise exploratória sobre a Argentina (Santa Fé) no período 2001-2015. No contexto de um Estado transformado (descentralização de funções, reescalonamento de regiões e ascensão da governança), este trabalho sugere que há uma crença exagerada sobre a capacidade das redes de governança para implementar políticas regionais, e que tem sido problemática para a efetividade dessas políticas. Propõe uma discussão em torno de três hipóteses: i) de que houve pouco apoio concreto por parte do Estado a essas dinâmicas de governaça, ii) que houve uma relação inadequada entre os níveis de regulação (nacional, regional e local) para aplicar políticas baseadas na dinâmica de governança; e iii) que existe uma grande lacuna entre ideias políticas sobre o espaço regional de governança e a concretização de políticas nesse espaço regional. a pesquisa tem como objetivo repensar a partir do interior do estado, as políticas regionais de regeneração econômica.

Palavras-chave


Governança. Políticas Regionais. Estado. Santa Fe. Regiões.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v23i3.10572

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo