Investimento externo e ingresso de estrangeiros no Brasil: perfil do imigrante autorizado para trabalho e investidor individual 2005-2009

Autores

  • Silvana Nunes de Queiroz
  • Kátia Cristina Isaías da Silva
  • Luís Abel da Silva Filho
  • Maria Alice Pestana de Aguiar Remy

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v17i3.1370

Palavras-chave:

Investimento, Imigração, Trabalho, Brasil-Sudeste-Nordeste

Resumo

Com o processo de globalização, privatizações, expansão do comércio internacional e de fluxos de capitais, o Brasil desponta no cenário internacional, desde o segundo quinquênio da década de 1990, como um dos melhores países para investimentos. As justificativas são inúmeras: ambiente macroeconômico estável, perspectiva de crescimento econômico, 190 milhões de habitantes ávidos de consumo, autossuficiência em energia elétrica, abundância de naturais, estabilidade política e exemplo para toda a América Latina. Neste artigo analisa-se o volume, a origem e o destino dos investimentos (pessoa física) feitos por estrangeiros no Brasil e se descreve o perfil do imigrante por nacionalidade, autorizações concedidas para trabalho (temporário e permanente), grupos de ocupação, escolaridade e destino migratório. De acordo com as informações da Coordenação Geral de Imigração (CGIg) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o investimento externo, a par das autorizações concedidas a estrangeiros para trabalho e aplicações financeiras individuais tem aumentado no país. Entre 2008 e 2009, os maiores volumes de aplicações realizadas no Brasil, concentraram-se nos estados de São Paulo, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro todas elas oriundas dos seguintes países: Itália, Espanha, Portugal, EUA e China. Quanto ao perfil do imigrante, os pedidos de visto para trabalho foram concedidos, entre 2005 e 2009, em sua maior parte a São Paulo e ao Rio de Janeiro, para cargos em embarcação de turismo e trabalho a bordo ou plataforma estrangeira, respectivamente. No caso das três UFs do Nordeste, o visto para investidor individual é o mais solicitado. Os que chegam a São Paulo e ao Rio de Janeiro normalmente procedem dos EUA, Reino Unido e Filipinas; nos estados do Nordeste, a procedência é italiana, portuguesa ou espanhola, com nível superior completo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-21

Como Citar

de Queiroz, S. N., da Silva, K. C. I., da Silva Filho, L. A., & de Aguiar Remy, M. A. P. (2012). Investimento externo e ingresso de estrangeiros no Brasil: perfil do imigrante autorizado para trabalho e investidor individual 2005-2009. Redes (St. Cruz Do Sul Online), 17(3), 231-256. https://doi.org/10.17058/redes.v17i3.1370

Edição

Seção

Artigos