Redes sociais, imigração e cultura: árabes e descendentes na economia da fronteira Ponta Porã (BR)/Pedro Juan Caballero (PY)

Autores

  • Fabricio Jose Missio Professor do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais - CEDEPLAR/UFMG, Belo Horizonte - MG, Brasil. Pesuisador do CNPq (Nível 2). E-mail: fjmissio@cedeplar.ufmg.br. https://orcid.org/0000-0003-4561-6039
  • Natalia Bolgado Balbuena Mestra em Desenvolvimento Regonal e de Sistemas Produtivos pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Ponta Porã-MS, Brasil. Email: natalia_economia2014@hotmail.com https://orcid.org/0000-0002-2021-5020
  • Rogério da Palma Professor Adjunto do Curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Amambai-MS, Brasil. E-mail: rog.cs@hotmail.com https://orcid.org/0000-0002-9848-1791

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v26i0.16020

Palavras-chave:

Redes sociais, Imigração árabe, Fronteira

Resumo

Desde os anos 1990, estudiosos reivindicam a necessidade de uma abordagem interdisciplinar na compreensão de fenômenos considerados propriamente econômicos. Os deslocamentos migratórios, por seu turno, apontam como uma interessante experiência para a análise da relação entre cultura e economia. O caráter relacional das transações econômicas é algo cada vez mais reconhecido. Este artigo, por sua vez, pretende aplicar a ideia de redes sociais a fim de se compreender a presença e atuação da população de origem árabe (imigrantes e descendentes) em certas atividades econômicas na fronteira entre Ponta Porã, Brasil, e Pedro Juan Caballero, cidade situada no Paraguai. Para tanto, empreende-se algumas reflexões sobre aspectos que podem ter determinado a vinda e a expansão dos árabes para a fronteira em epígrafe. Através da delimitação de certas trajetórias familiares, construídas a partir de entrevistas, tem-se a intenção de demonstrar a importância das redes sociais na construção dessas últimas. Conclui-se que o movimento imigratório dos árabes e sua inserção socioeconômica são influenciados pelas ações de suas respectivas redes. Ademais, o capital social, expresso pelas relações de confiança, pela cooperação e habilidades comerciais, pauta-se em seus princípios culturais e apresenta-se como um fator social das relações econômicas, sendo um fator significativo no processo de formação social e econômica da região estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabricio Jose Missio, Professor do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais - CEDEPLAR/UFMG, Belo Horizonte - MG, Brasil. Pesuisador do CNPq (Nível 2). E-mail: fjmissio@cedeplar.ufmg.br.

http://lattes.cnpq.br/5047485742216555

Natalia Bolgado Balbuena, Mestra em Desenvolvimento Regonal e de Sistemas Produtivos pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Ponta Porã-MS, Brasil. Email: natalia_economia2014@hotmail.com

http://lattes.cnpq.br/8055952619072670

Rogério da Palma, Professor Adjunto do Curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Amambai-MS, Brasil. E-mail: rog.cs@hotmail.com

http://lattes.cnpq.br/9921508438209875

Referências

ABRAMOVAY, R. O capital social dos territórios: repensando o desenvolvimento rural. Economia Aplicada, São Paulo, v. 4, n. abr./ju 2000, p. 379-397, 2000.

BANDUCCI JÚNIOR. Mercado popular na fronteira do Paraguai com o Brasil: parâmetros de legalidade e relações de alteridade. In: V Reunião Equatorial de Antropologia e XIV Reunião Mde Antropologia do Norte e Nordeste. Anais... [...]. Maceió, 2015.

BERTHOLI, Anderson. O lugar da pecuária na formação sócio-espacial sul-mato-grossense. 2006. 227 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Urbano) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

BITTAR, M. Mato Grosso do Sul a construção de um estado: Regionalismo e divisionismo no sul de Mato Grosso. Campo Grande: Ed. UFMS, 2009.

BOISIER, S. Conversacionessociales y desarrollo regional: potenciacióndel capital sinergético y creación de sinergía cognitiva en una régio (Región Del Maule, Chile). Talca: Universidad de Talca, 2000.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

CARLEIAL, A. N. Redes sociais entre imigrantes. Anais Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Caxambu – MG: ABEP: 2004.

COLEMAN, J. S. Social Capital in the creation of human capital. The American Journal of Sociology, Vol. 94, Supplements: Organizations and institutions: Sociological and Economic Approaches to the Analysis of social structure, 1988. pp. S95-S120 Published by: The University of Chicago Press Stable URL: http://www.jstor.org/stable/2780243 Acesso em: 20/04/2019

CRUZ, E. P.; FALCÃO, R. P. de Q.; BARRETO, C. R. Estudo exploratório do empreendedorismo imigrante brasileiro em Pompano Beach e Orlando – EUA. Revista Gestão e Planejamento. Salvador, v. 18, p. 37-54, jan. /dez. 2017.

ESSELIN, P. M. A pecuária bovina no processo de ocupação e desenvolvimento econômico do pantanal sul-mato-grossense (1830-1910). Dourados: Editora da UFGD, 2011.

FIALHO, J. O Capital Social no Contexto da Teoria Sociológica Contemporânea. Revista Desenvolvimento e Sociedade, v. 1, n. 1, p. 69-82, 2016. Disponível em: Acesso em 27/09/2019.

FUSCO, W. Redes sociais na migração internacional: o caso de Governador Valadares. UNICAMP. Núcleo de Estudos de População, 2001.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização e as “regiões-rede”. In: Anais do V Congresso Brasileiro de Geografia. 1994. p. 206-214.

HIGGINS, S. S. Os Fundamentos Teóricos do Capital Social. Chapecó, Argos Ed. Universitária, 2005.

LAMBERTI, Eliana. Dinâmica comercial no território de fronteira: reexportação e territorialidade na conurbação Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. 2006. Programa de pós-graduação em Geografia. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2006.

LE BOURLEGAT, Cleonice Alexandre. Mato Grosso do Sul e Campo Grande: articulações espaço-temporais. 2000. 430 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2000.

MARTES, A. C. B.; DIMITRI, F. Solidarity and social networks: economic sociology of internacional migration and the Brazilian case. Max Planck Institute for the Study of Societes. 2010.

MISSIO, F. J.; RIVAS, R. M. R. Aspectos da formação econômica de Mato Grosso do Sul. Revista de Estudos Econômicos (USP), v. 49, p. 601-632, 2019.

PORTES, A. “Economic sociology and the sociology of immigration: A conceptual overview”. In: The economic sociology of immigration. Essays on networks, ethnicity and entrepreneurship. New York: Russel Sage foundation, 1995.

____________. Social Capital: Its origins and applications in modern sociology. Rev. Sociol., 24:1-24, 1998.

POWELL, W; SMITH-DOERR, L. “Networks and Economic Life”. In: SMELSER, N.: SWEDBERG, R. The Handbook of Economic Sociology, Russel Sage Fundation, 1994, p. 368-402.

PUTNAM, R. D. Comunidade e democracia: a experiência da itália moderna/ robert david. putnam, com robert leonardi e raffaella y. nanetti; tradução luiz alberto monjardim. – 5 ed. - rio de janeiro: editora fgv, 2006.

PUTNAM, R. D. (1993b). "The Prosperous Community: Social Capital and Public Life", American Prospect, vol. 13, pp: 35-42.

QUEIROZ, P. R. C. Articulações Econômicas de Comunicação do antigo sul de Mato Grosso (séculos XIX e XX), In: LAMOSO, L. P. (Org.) Transportes e Políticas Públicas em Mato Grosso do Sul. 1. Ed. Dourados: Editora da UFGD, v. 1. 196p, [2008a].

RIBEIRO, I. C. D.; FERNANDES, E. A.; RIBEIRO, H. M. D. A importância do capital social para o desenvolvimento de uma região. Revista Ruris. V. 6, n.1, março/2012, p. 15-41. Disponível em: ISSN: 1984-8781 - Código verificador: U6XYfemISn7P 16 Acesso em 27/09/2019.

RABOSSI, Fernando. Nas ruas de Ciudad del Este. 2004. 318f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

ROSA, M. & CASTELÃO, R. A. Os árabes em Corumbá: uma rede de cooperação. Albuquerque – revista de história. vol. 6, n. 12. jul.-dez./2014, p. 70-86.

SANTOS, F. R. Redes sociales y mercado de trabajo. Elementos para una teoría del capital relacional. Madrid, CIS-Siglo veintiuno, 1991.

SANTOS, Camila Comerlato. Território Federal de Ponta Porã: o Brasil de Vargas e a “Marcha para o Oeste”. 2016. 172f. Dissertação (Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SANTOS, M. Técnicas espaço tempo: globalização e meio técnico - científico –

Informacional. São Paulo, maio de 1994.

STEINER, P. “Redes sociais e funcionamento dos mercados”. In: A Sociologia Econômica. São Paulo: Atlas, 2006, p. 76-107.

TORRECILHA, Maria Lucia. Gestão compartilhada como espaço de integração na fronteira Ponta Porã (Brasil) e Pedro Juan Caballero (Paraguai). 2013. Tese (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

TRUZZI, O. Patrícios: Sírios e Libaneses em São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1997.

_________ Redes em processos migratórios. Tempo Social. USP, 2008.

VILELA, E. M. Sírios e libaneses: redes sociais, coesão e posição de status. Revista Brasileira em Ciências Sociais, vol.26, n.76, p.157-176, 2015.

WOOLCOCK, M. Social capital and economic development: toward a theoretical synthesis and policy framework. Theory and Society. v. 27, n. 2, p. 151-208, 1998.

Publicado

2021-11-25

Como Citar

Missio, F. J., Balbuena, N. B., & Palma, R. da. (2021). Redes sociais, imigração e cultura: árabes e descendentes na economia da fronteira Ponta Porã (BR)/Pedro Juan Caballero (PY). Redes, 26. https://doi.org/10.17058/redes.v26i0.16020

Edição

Seção

Artigos