Dinâmica econômica e rede urbana cearense no início do século XXI

Fernando Cezar de Macedo, Francisco do Ó de Lima Junior, José Micaelson Lacerda Morais

Resumo


Este artigo discute a dinâmica econômica e a evolução da rede urbana do Ceará nesta primeira década do século XXI. Além das heranças seculares, toma como elemento decisivo na estruturação do espaço cearense as diversas políticas implementadas pelos governos estaduais que articularam a economia cearense aos movimentos das economias brasileira e internacional, influenciando sua organização espacial. Mostra que foi no período colonial que a capital cearense tornou-se principal centro urbano do estado graças à centralização dos excedentes das atividades sertanejas sustentadas no binômio pecuária-algodão. Posteriormente, apresenta as transformações verificadas na fase de integração do mercado nacional, quando se concentraram os principais investimentos na cidade de Fortaleza. Dada essa grande concentração, observam-se esforços de descentralização da atividade produtiva, a partir de uma ação deliberada do governo do estado, através dos instrumentos da guerra fiscal que atraíram para o interior importantes investimentos, sem, contudo, reduzir as disparidades intraestaduais ainda fortemente marcadas pelo predomínio metropolitano. Não obstante, surgem focos dinâmicos na economia cearense, contribuindo para uma maior diferenciação do interior do estado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v17i1.2380

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo