Parques urbanos municipais em Dourados - MS - Brasil: estado da arte

Autores

  • Maria Cristiane Fernandes da Silva Lunas
  • Lídia Maria Lopes Rodrigues Ribas

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v18i2.2572

Palavras-chave:

Área Urbana, área verde, parque, conservação, plano de manejo.

Resumo

As condições ambientais urbanas é uma preocupação crescente em diversos segmentos da sociedade e os parques urbanos estão inseridos nesse contexto. Todavia, as discussões a respeito dos parques urbanos são menos enfáticas quando comparadas ao destaque dado a outros problemas ambientais. Este trabalho buscou relatar a realidade dos três principais parques ambientais urbanos do município de Dourados/MS, o estado atual de conservação, manutenção e as principais ações de gestão que vêm sendo desenvolvidas nessas áreas, desde a criação de cada uma delas. O objetivo principal desta pesquisa foi levantar a situação atual desses parques para propor medidas que auxiliem a conservação ambiental. A metodologia de trabalho consistiu no levantamento bibliográfico, que reforçou a importância das áreas verdes em espaços urbanos; detalhado levantamento de campo nos parques, bem como o estudo de documentos públicos que abordam o tema. Foi possível detectar que os parques possuem problemas ambientais graves e estão vulneráveis a riscos ambientais por conta de sua má conservação. Além disso, são notórios à população os efeitos ambientais e os impactos sociais de áreas verdes urbanas abandonadas. Levantou-se que os projetos pontuais elaborados para os parques não têm apresentado resultados positivos, dada a dificuldade de alocação de recursos e entraves políticos. Diante dos fatos, recomendou-se tanto a elaboração de planos de manejo para os parques quanto um estudo detalhado sobre o modelo de gestão que vem sendo utilizado nessas áreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-09-16

Como Citar

Lunas, M. C. F. da S., & Ribas, L. M. L. R. (2013). Parques urbanos municipais em Dourados - MS - Brasil: estado da arte. Redes (St. Cruz Do Sul Online), 18(2), 231-245. https://doi.org/10.17058/redes.v18i2.2572

Edição

Seção

Artigos