Agricultores familiares e as características do processo de tomada de decisão: o caso dos viticultores de Flores da Cunha - RS - Brasil

Alexandre Troian, Dionéia Dalcin, Alessandra Troian, Sibele Vasconcelos de Oliveira

Resumo


Diante do constante crescimento do mercado vitícola brasileiro, produtores gaúchos vêm se organizando para atender às demandas relativas ao volume e à qualidade do produto final comercializado. Sobretudo, esses agentes econômicos encaram desafios inerentes aos agronegócios, como a dificuldade de acesso às informações e às ações oportunistas dos parceiros transacionais. Logo, o estudo visa conhecer o processo de tomada de decisão dos agricultores familiares produtores de uva da Região Serra do Rio Grande do Sul em função do cenário socioeconômico da cadeia produtiva e da eficiência das unidades de produção. Para tanto, foram coletadas informações em trabalhos existentes sobre a cadeia produtiva e realizadas entrevistas com onze produtores do município de Flores da Cunha. Destaca-se que o processo de tomada de decisão desses agentes econômicos é realizado no coletivo do contexto familiar, mais voltado às problemáticas cotidianas. Contudo, prevalecem as peculiaridades da racionalidade limitada dos agentes econômicos. Destarte, orientadas sempre para o alcance de maior eficiência da atividade produtiva e do bem-estar social da família, as decisões refletem o amplo conjunto de aspectos objetivos e subjetivos que circundam os agricultores, em consonância com os desempenhos técnico e econômico e entre os sistemas de produção que compõem a propriedade rural.

Palavras-chave


Viticultura, agricultura familiar, tomada de decisão.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v19i1.3097

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo