A representação dos agricultores familiares em espaços institucionais de participação social no sudoeste do Paraná - Brasil

Norma Kiyota

Resumo


Este estudo analisa o processo de representação dos agricultores familiares em espaços institucionais de participação social, realizado através de uma pesquisa desenvolvida junto aos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural de Itapejara d’Oeste e Vitorino e junto ao Grupo Gestor do Território Sudoeste do Paraná. Esses espaços, oriundos do processo de descentralização das instituições do Estado e da aposta na aproximação da sociedade civil com a gestão estatal, determinam o surgimento de um processo diferenciado de representação, protagonizados pelos representantes dos diferentes grupos sociais que atuam nesses espaços. A representação é analisada a partir de duas dimensões: a representatividade e a capacidade de intervenção destes representantes nos diferentes espaços. A pesquisa demonstra que diferentes configurações dos espaços, trajetórias dos representantes e trajetórias associativas dos municípios e da região alteram o processo de representação a partir da distinção dos perfis dos representantes, das formas de relacionamento dos representantes com os representados e na forma como os próprios espaços institucionais de participação social se identificam com as conformações associativas dos agricultores familiares no território.

Palavras-chave


Representação, espaços institucionais de participação social, agricultura familiar.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v19i1.3102

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo