Fontes de crescimento da produção de cana-de-açúcar no sudeste e centro-oeste do Brasil

Geraldo Moreira Bittencourt, Marília Fernandes Maciel Gomes

Resumo


O presente estudo tem como objetivo principal avaliar os determinantes das variações na produção da cana-de-açúcar no Sudeste e Centro-Oeste brasileiro, entre os anos de 1990 e 2009, mensurando os efeitos área, produtividade e composição. O referencial teórico é composto pela conceituação sobre a modernização da agricultura e pela descrição da teoria de inovação induzida. A análise empírica do trabalho tem como base o modelo Shift-Share, também conhecido como diferencial estrutural. Nos resultados do período de 1990 a 2009 (período total), destaca-se a hipótese do maior rendimento médio da produção da cana-de-açúcar na região Sudeste e do padrão de crescimento da produção pelo fator área no Centro-Oeste. Por outro lado, no período de 2005 a 2009, em que as duas regiões em análise apresentaram as maiores taxas de crescimento da produção de cana-de-açúcar, o efeito composição foi o que revelou os valores mais expressivos, mostrando que a expansão da produção da cana nessas regiões vem ocorrendo, principalmente, pela substituição por terras de outras culturas menos rentáveis.

Palavras-chave


Cana-de-açúcar. Padrão de crescimento. Modelo Shift-Share.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v19i2.3173

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo