Desenvolvimento do Mercosul: uma avaliação dos fluxos de comércio

Autores

  • Rubiane Daniele Cardoso Universidade Católica de Brasília - UCB
  • Mirian Beatriz Schneider
  • André Ricardo Bechlin Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste. Professor da PUC-PR.

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v21i1.3952

Palavras-chave:

MERCOSUL. Exportações. Desenvolvimento Regional. Equação gravitacional.

Resumo

Este artigo procura analisar os efeitos da constituição do Mercado Comum do Sul - MERCOSUL nos fluxos de comércio dos países-membros no período de 1994 a 2009, utilizando um modelo gravitacional estendido, que inclui variáveis dummy para o MERCOSUL, para União Européia - UE e North American Free Trade Agreement - NAFTA (por serem blocos econômicos importantes), para os setores da economia e para cada país-membro. Os resultados mostram que o MERCOSUL obteve os maiores aumentos de comércio entre todos os esquemas de integração regionais relevantes para os países-membros, o que ressalta sua importância. Quando considerada a análise dos setores, apenas agricultura teve valor expressivo, mostrando que os produtos deste setor foram predominantes na pauta de exportação dos países do MERCOSUL para todos os países da amostra, tanto em 1994 quanto em 2009.

Biografia do Autor

Rubiane Daniele Cardoso, Universidade Católica de Brasília - UCB

Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste. Atualmente é doutoranda em economia pela Universidade Católica de Brasília - UCB.

Mirian Beatriz Schneider

Economista formada pela Unioeste, Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná, Dra em História Econômica pela Universidade de León Espanha e Cursando pós doc na USP-Esalq de Piracicaba. Pesquisadora do GEPEC.

André Ricardo Bechlin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste. Professor da PUC-PR.

Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste.

Downloads

Publicado

2016-05-06

Edição

Seção

Artigos