Eficiência do gasto público na formação do capital humano

Martin Airton Wissmann

Resumo


O objetivo deste estudo é apurar a eficiência do gasto público com o Ensino Fundamental – séries iniciais, frente à formação de Capital Humano, na região Oeste do Paraná, a partir da evolução do IDEB, bem como de analisar as possíveis variáveis que podem impactar nos resultados deste índice. Tem-se, a partir da teoria do Capital Humano, que a educação pode interferir de forma determinante no futuro de uma pessoa, sobretudo quando apresenta qualidade nas séries iniciais. Neste contexto, partindo da premissa que o IDEB é o indicador de qualidade do ensino, portanto de formação de Capital Humano, e que este pode ser influenciado pelos investimentos realizados pelo poder público, analisou-se os gastos com Ensino Fundamental – séries iniciais, realizados pelos municípios do Oeste do Paraná, no período de 2006 a 2011 e comparou-se com os resultados do IDEB. Os resultados demonstraram que a evolução nos resultados do IDEB foi proporcionalmente menor que o crescimento dos gastos com educação, denotando falhas na formação de Capital Humano. Identificou-se também, que dentre as variáveis que exercem maior influência na dimensão Avaliação, a variável Meta 3, é a que deve receber maior atenção na definição de intervenções e de formulação de políticas públicas voltadas à educação.

Palavras-chave


Capital Humano. Eficiência. Educação.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v20i3.4745

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo