A dimensão espacial das redes migratórias

Marden Barbosa de Campos

Resumo


Os estudiosos da migração têm destacado o papel preponderante que as redes sociais exercem sobre os movimentos migratórios. O fato dos indivíduos residirem em localidades específicas, tanto antes como depois da migração, configura redes de lugares, que formam espaços de migração. O objetivo deste trabalho é discutir o processo de espacialização das redes migratórias. Por basearem-se em contatos pessoais, as redes configuram-se por proximidade. Isso decorre da mecânica dos processos de difusão, que fazem com que a circulação de informações e o recrutamento de migrantes moldem os contornos da rede. Pode-se afirmar que as redes migratórias apresentam um caráter multidimensional ao serem compostas, em uma posição, por relações entre pessoas, famílias ou organizações enquanto, em outra dimensão, localizam-se redes de domicílios, cidades e países. Essas redes articulam-se em escalas diferenciadas atuando como agentes da produção espacial.

Palavras-chave


Migração. Redes sociais. Cluster.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v20i3.5597

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo