Origem e motivações das caminhadas na natureza no Território Vale do Ivaí - PR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v21i3.7621

Palavras-chave:

Caminhadas na Natureza. Território Vale do Ivaí. Políticas públicas. Motivações.

Resumo

As Caminhadas na Natureza configuram-se numa modalidade de turismo rural e propõem que comunidades rurais organizem circuitos de caminhada e vendam produtos e serviços a caminhantes oriundos de centros urbanos. O estudo pretende analisar a origem do projeto Caminhadas na Natureza, adotando o recorte geográfico do Território Vale do Ivaí, Estado do Paraná. Nesta análise foram observados o processo de desenvolvimento do projeto e as motivações que conduziram 42 atores a se envolver nas caminhadas, entre eles, agricultores, caminhantes e organizadores. Por meio de entrevistas semiestruturadas, observou-se que o projeto surgiu de uma organização social independente, mas foi fortemente impulsionado por diversas ações de políticas públicas, principalmente do Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMATER Paraná. As motivações que levaram os atores a se engajarem no projeto pertencem principalmente à dimensão social, seguida pela dimensão de prestígio e econômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarice Bastarz, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural da UFRGS; Professora Assistente do Curso de Gestão de Turismo da UFSM

Marcelino de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Engenharia Agrícola pela UNICAMP; Professor Associado do Departamento de Economia e Relações Internacionais e dos Programas de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural e de Agronegócio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Downloads

Publicado

2016-09-10

Como Citar

Bastarz, C., & Souza, M. de. (2016). Origem e motivações das caminhadas na natureza no Território Vale do Ivaí - PR. Redes (St. Cruz Do Sul Online), 21(3), 277-299. https://doi.org/10.17058/redes.v21i3.7621