O MODELO CURRICULAR DA LEI 5.692/1971 DURANTE A DITADURA MILITAR PARA O CURSO DE MAGISTÉRIO E SUAS IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DOCENTE NO BRASIL E EM SANTA CATARINA

Autores

  • Jéferson Silveira Dantas

DOI:

https://doi.org/10.17058/rea.v23i2.5880

Palavras-chave:

Lei 5.692/1971, Curso de Magistério, Formação Docente

Resumo

Este artigo procura discutir as implicações pedagógicas trazidas pela implementação da Lei 5.692/1971 no contexto da Ditadura Militar (1964-1985) e os seus efeitos na formação docen-te no Brasil e em Santa Catarina, sobretudo, nas séries iniciais do Ensino Fundamental, ante-riormente denominado de ensino primário. Além disso, tal estudo procura empreender uma análise da reorganização curricular no ensino de 1º e 2º graus em conformidade com a reestru-turação produtiva do capital, contando para isso com o apoio de determinados intelectuais orgânicos que apoiavam o regime militar.

Biografia do Autor

Jéferson Silveira Dantas

Historiador e Doutor em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor no Depar-tamento de Estudos Especializados em Educação do Centro de Ciências da Educação da UFSC (EED/CED/UFSC) e Coordenador do Curso de Pedagogia (2015-2017). Endereço: Rua Maestro Aldo Krieger, 54, Ap 402, Bairro Córrrego Grande, CEP 88037-500, Florianópolis/SC. E-mail: jeferson.dantas@ufsc.br.

Downloads

Publicado

2015-10-16

Edição

Seção

Ditadura(s), educação e memória