A chancela jornalística do visível: o caso do desfile de 7 de setembro

Ana Paula Rosa, Elisabeth Webber

Resumo


O objeto deste artigo é o desfile do 7 de setembro como algo que irrompe na sociedade em termos imagéticos, pondo sentidos em circulação. Questiona-se, porém, que sentidos são esses? E por que algumas imagens fotojornalísticas deste evento tradicional acabam marcadas no imaginário? Em busca de tais respostas se recorre a analogias entre uma fotografia de flagrante delito (LANDOWSKI,2004) de 2008, no governo Lula e imagens do desfile de 2015, desta vez no governo Dilma, que tiveram ampla circularidade.

Palavras-chave


midiatização1; circulação2; Imagem3.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rzm.v7i2.12414