Práticas de leitura medievais na era digital: a proposta de marginalidade no conhecimento

Soledad Analía Ayala

Resumo


A partir dos resultados de um relevamento empírico que inclui estudantes e professores de 2°e 5° ano de duas Faculdades de Advogacia e Engenharia em Sistemas, se propor a noção de marginalidade no conhecimento para as práticas de leituras atuais. Esta noção tem, em alguns aspectos, similitudes com as práticas de leitura que havia na Idade Média. Mesmo quando o acesso material está garantido, existe uma desigualdade relativa ao acesso cultural que deixa por fora ao maior porcentagem de leitores.

Palavras-chave


Práticas de leitura; Suportes papel e digital; Idade Média; Marginalidade no conhecimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rzm.v3i1.6145