O delírio do psicótico como fenômeno de linguagem

Walker Douglas Pincerati

Resumo


O dizer psicótico tem uma opacidade que lhe é própria. Consequentemente, exige uma escuta que não tome a psicose no campo da patologia, mas no da psicopatologia. A análise da construção da palavra de efeito neológico de um psicótico mostra um elaborado trabalho do pensamento. A linguagem não se mostra aí apenas como uma manifestação e auxiliar do pensamento, mas causa de haver sujeito. Ao desvelar um funcionamento da ‘potência patológica da linguagem’, a construção delirante do efeito neológico, de fato, deixa entrever um modo outro do psicótico habitar a linguagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v38i65.4145

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo