Análise vigoskyana do filme O Enigma de Kaspar Hauser

Andréia dos Santos Sachete, Valéria Silveira Brisolara

Resumo


A história de Kaspar Hauser foi retratada em filme pelo autor Werner Herzog. Este filme apresenta uma criança selvagem, encarcerada, sem nenhum contato verbal ou social até por volta de seus 16 anos. Esta criança, quando levada a uma comunidade alemã, passa a ser objeto de curiosidade e estudo, devido a não conseguir se expressar, conceituar, raciocinar, ou até mesmo diferenciar sonho de realidade. Durante sua convivência nesta comunidade, pôde ser observado o seu desenvolvimento na linguagem e sua socialização. Este artigo reflete sobre o desenvolvimento linguístico e social de Kaspar Hauser, sob o viés do sócio-interacionismo vygotskiano. Destaca-se que, a interação com outro indivíduo foi essêncial para o desenvolvimento e aprendizagem do protagonista do filme.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v38i65.4180

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo