Segmentação de palavras na alfabetização de crianças: um estudo sobre consciência de palavra

Débora Mattos Marques, Aline Lorandi

Resumo


A presente pesquisa teve por objetivo investigar de que maneira a consciência linguística acerca do conceito de palavra pode influenciar as segmentações na escrita de crianças nos primeiros anos no Ensino Fundamental, observando, então, dados de hiper e hipossegmentação e relacionando-os com a consciência de palavra. Para análise dos dados de consciência linguística, utilizou-se o Modelo de Redescrição Representacional, de Karmilloff-Smith (1986, 1992), que postula quatro níveis em que o conhecimento é redescrito na mente humana, tornando-se, ao longo do tempo, acessível para consciência e verbalização. A metodologia de pesquisa consistiu em seis testes, sendo quatro para verificação nos níveis de consciência de palavra e dois para obtenção de dados de escrita. Na análise dos dados percebeu-se que grande parte dos equívocos segmentais na escrita tem relação com o entendimento que esse sujeito possui acerca do que é uma palavra. Como resultado, então, encontraram-se evidências de que as segmentações incomuns não são motivadas apenas por questões prosódicas ou fonológicas, mas também por questões de consciência linguística a respeito do que esse sujeito entende por palavra.

Palavras-chave


Consciência de palavra. Hipersegmentação. Hipossegmentação; modelo de Redescrição Representacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v41i71.7243

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo