As perspectivas metaficcionais do romance O doente Molière, de Rubem Fonseca

Bianca Cardoso Batista, Luana Graziela Schonarth, Eunice Terezinha Piazza Gai

Resumo


RESUMO: Este artigo objetiva elucidar os conceitos, características e diferenças entre a metaficção e a intertextualidade, segundo Linda Hutcheon, Gustavo Bernardo, Maria Alzira Seixo e Patricia Waugh. A partir dos conceitos teóricos, o texto se propõe, a enfatizar a presença destes recursos de linguagem na obra O doente Molière, de Rubem Fonseca. Além do título, o romance está repleto de intertextos que dialogam com as peças do dramaturgo francês Molière. Don Juan, O doente imaginário e O tartufo foram as peças escolhidas para maior análise e compreensão. Através da leitura das peças torna-se evidente uma das peculiaridades do intertexto: ele requer um leitor perspicaz, que tenha capacidade de entender a sua complexidade intrínseca. A metaficcionalidade requer leitores mais aprofundados.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.