Avaliação dos níveis de monóxido de carbono em funcionários de um hospital geral

Tânia Cristina Malezan Fleig, André Luiz Kunzler, Christian Portz, Guilherme Dionir Back, Paloma de Borba Schneiders, Elisabete Antunes San Martin, Andréa Lúcia Gonçalves da Silva

Resumo


Justificativa e Objetivos: A exposição ao monóxido de carbono (CO) pode ser prejudicial para a saúde humana e os primeiros efeitos da intoxicação podem passar despercebidos. Nosso objetivo foi avaliar acapacidade funcional e força muscular respiratória de funcionários de um hospital geral frente à inalação de monóxido de carbono. Métodos: estudo de delineamento transversal, com amostragem de conveniência. Utilizou-se como instrumentos de avaliação: roteiro de investigação
clínica; MicroCO para análise da concentração CO, com ponto de corte de CO para não fumantes entre 1-6ppm, fumantes leves7-10ppm, fumantes moderados 11-20ppm e fumantes pesados valores ˃20ppm; Manovacuometria para determinar a força muscular respiratória (PImáx e PEmáx);Teste de Caminhada de Seis minutos (TC6m) para avaliar a
capacidade funcional. A análise estatística foi realizada pelo teste de correlação de Pearson para verificar a associação das variáveis. Resultados: Participaram do estudo 14 sujeitos voluntários (8 homens), idade média de 35,14±8,76anos, atuantes na manutenção
(n=5); lavanderia (n=6); cozinha (n=1); engenharia (n=2) do hospital. Para tabagismo ativo apenas 3 sujeitos ficaram acima do ponto de corte (CO>6ppm), sendo considerados fumantes ativos. A PImáx(99,50±27,37%predito) e PEmáx(105,64±21,39%predito)
encontram-se dentro dos parâmetros de normalidade. A capacidade funcional dos indivíduos fumantes (TC6m=71%predito), com alto nível CO (17ppm), ficou aquém do valor basal quando comparados com os indivíduos não fumantes (CO=0,9ppm; TC6m=92,6%predito). Correlação moderada e inversa foi observada entre TC6m e CO
(r=-0,577, p=0,031). Conclusão: Funcionários adultos de um hospital geral,com força muscular respiratória preservada e maiores níveis de CO exalados apresentam pior desempenho funcional no TC6m.
DESCRITORES: Força muscular. Monóxido de Carbono. Saúde do Trabalhador. Saúde Pública.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/reci.v1i1.8042



Direitos autorais 2016 Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo




Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção - ISSN 2238-3360

Hospital Santa Cruz
Núcleo de Epidemiologia Hospitalar/Comissão de Controle de Infecção
Rua Fernando Abott, 174
Santa Cruz do Sul - RS - Brasil