A geração de conhecimento e as inovações sócio-organizativas da agricultura familiar: O caso de Dom Feliciano, RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v25i1.14100

Palavras-chave:

Participação. Atores. Autonomia. Associações. Coopacs.

Resumo

Dom Feliciano é um município brasileiro localizado na região Centro-Sul do estado de Rio Grande do Sul. Cerca de 90% da sua população são descendentes de poloneses, e pela sua estrutura populacional e socioeconômica trata-se de um território rural que possui nas atividades agropecuárias, entre elas o tabaco, contribuições importantes ao PIB municipal. No ano 2000 a realidade local se manifestava complexa, através de algumas medições socioeconômicas que colocavam o município nas últimas posições do desenvolvimento socioeconômico estadual. No meio dessa conjuntura, a gênese de um processo social começa a se constituir a partir de um exercício de Planejamento Participativo Municipal (PPM) levado ao município por articuladores da Emater/RS, em 2001. O objetivo do presente trabalho é analisar a geração de conhecimento e a construção de inovações sociais da agricultura familiar em Dom Feliciano ao longo das duas décadas do século XXI. Este trabalho é abordado mediante uma metodologia qualitativa e é baseado num estudo de caso que usa ferramentas de pesquisa etnográfica, apoiando-se na Perspectiva Orientada ao Ator (POA) como referencial teórico-analítico. Foi possível documentar a construção de alguns dispositivos sociais, na forma do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR) e do Plano Municipal de Desenvolvimento Rural (PMDR), que se revelaram inovações, donde a participação de diversos atores e associações comunitárias promoveram a formação de capital social e de ações organizativas como a Cooperativa Agropecuária Centro-Sul (Coopacs), articulando e materializando as demandas e necessidades comunitárias em torno a uma ideia própria de desenvolvimento local e com autonomia dos atores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Xavier da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Professor e pesquisador do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural (PDGR)

Graduado em Ciências Econômicas (PUCRS), mestre em Economia Rural e doutor em Economia (UFRGS). Professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR/UFRGS).

Dagoberto De Dios Hernández, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Doutorando do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural (PDGR)

Ingeniero en Desarrollo e Innovación Empresarial (UTC), maestro en Desarrollo Económico Local (UAN) y doctorando en Desarrollo Rural (UFRGS). Asistente de investigación del cuerpo académico Actores Sociales y Desarrollo Comunitario, de la Universidad Autónoma de Nayarit (UAN), México

Jesús Antonio Madera Pacheco, Universidad Autónoma de Nayarit Professor e pesquisador do Programa de Doctorado en Ciencias Sociales

Licenciado en Economía (UAN), Maestro en Desarrollo Regional (COLEF) y doctor en Agroecología, Sociología y Desarrollo Rural Sostenible (UCO). Profesor-investigador en el Área de Ciencias Sociales y Humanidades de la Universidad Autónoma de Nayarit (UAN), México

Referências

ARCE, A. Re-approaching Social Development: a field of action between social life and policy processes. Journal of International Development. V. 15, n. 7, p. 845-861, Set. 2003.

ATLAS do Desenvolvimento Humano. PNUD; Fundação João Pinheiro; IPEA (orgs.). Índice de Desenvolvimento Humano 2010. Disponível em http://www.atlasbrasil.org.br/2013/ranking. Acesso em 28 de agosto de 2019.

COTRIM, Décio Souza; DAL SOGLIO, Fábio Kessler. Construção do Conhecimento Agroecológico: Problematizando a noção. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 11, n. 3, sep. 2016. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/16772>. Acesso em 28 de agosto de 2019.

COTRIM, D. O estudo da participação na interface dos atores na arena de construção do conhecimento agroecológico. 201 3. 264p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

CRESWELL JW. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa. Escolhendo entre cinco abordagens. São Paulo: Penso Editora LTDA, 2014.

DE DIOS, D.; THIES, V. “análise comparativa da implementação da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco no México e no Brasil”. In:. OLIVEIRA, M. et. al. (ORG.) Saúde coletiva, desenvolvimento e (in)sustentabilidade no rural. Porto Alegre. Editora da UFRGS, 2018.

DEPONTI, C. M.; SCHNEIDER, S. A extensão rural e a diversificação produtiva da agricultura familiar em áreas de cultivo de tabaco no Rio Grande do Sul: o caso de Dom Feliciano-RS. Revista IDeAS, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 176-213, 2013.

DEPONTI, C. M. Desmistificando a intervenção para o desenvolvimento à luz da perspectiva orientada ao ator. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO, 6., 2007, Fortaleza, Anais... Fortaleza: VII Congresso Brasileiro de Sistemas de Produção. 2007.

GAZOLLA, M. Conhecimentos, produção de novidades e ações institucionais: cadeias curtas das agroindústrias familiares. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural). Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural, UFRGS, Porto Alegre, 2012.

GREGOLIN, A. Ações do Ministério de Desenvolvimento Agrário para a diversificação da produção em áreas cultivadas com Tabaco no Brasil. Brasilia: MDA, 2010. 36p.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal (PAM). Disponível em https://sidra.ibge.gov.br/tabela/5457#resultado. Acesso em 28 de agosto de 2019.

______. Censo Demográfico 2010: População residente, por situação do domicílio, sexo e idade, segundo a condição no domicílio e compartilhamento da responsabilidade do domicílio. Disponível em https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1378#resultado. Acesso em 28 de agosto de 2019.

LA VIA CAMPESINA. Naciones Unidas: El Tercer Comité aprueba la Declaración sobre Derechos Campesinxs y otras personas que trabajan en áreas rurales (2018). Disponível em: https://viacampesina.org/es/naciones-unidas-el-tercer-comite-aprueba-la-declaracion-sobre-derechos-campesinxs-y-otras-personas-que-trabajan-en-areas-rurales/. Acesso o: 27 junho de 2019.

LONG, N. Development Sociology: actor perspectives. London and New York: Routledge, 2001 , 293p.

LONG, N. Sociología del desarrollo: una perspectiva centrada en el actor. México, Centro de Investigaciones y Estudios Superiores en Antropología Social: El Colegio de San Luis. 2007. 504 p.

LONG, N.; PLOEG, J. V. Heterogeneidade, ator e estrutura: para a reconstituição do conceito de estrutura. In: SCHNEIDER, S. e GAZOLLA, M.(Org.). Os atores do desenvolvimento rural: perspectivas teóricas e práticas sociais. Porto Alegre: UFRGS Editora, 2011. p. x1-x2.

MAFFINI, P.R.; LEMOS, J.A.L. Plano Municipal de Desenvolvimento 2001-2004: manuscrito. 2001.

MEDEIROS, Monique; MARQUES, Flávia Charão. “Interfaces e transformações de práticas e conhecimentos na agricultura: um ensaio bibliográfico sobre a emergência das novidades”. In: Revista IDeAS – Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Rio de Janeiro – RJ, v. 5, n.1, p. 66- 90, 2011.

MENGEL, A. A. Tratados internacionais e disputas locais: A Convenção Quadro para o Controle do Tabaco e as disputas entre os atores da cadeia produtiva no Brasil. 2011. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade), Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, UFRRJ, Rio de Janeiro, 2011.

OLIVEIRA, M. M. Como fazer pesquisa qualitativa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

QUADROS, C. S. Estudo de caso: Cooperativa Agropecuária Centro Sul (Coopacs). Bacharelado em Desenvolvimento Rural (PLAGEDER-UFRGS). São Lourenço do Sul. 2018.

RUDNICKI, C. S.; GUERIN, Y. S. As mediações na trajetória de vida dos agricultores do tabaco no Rio Grande do Sul. Revista Extensão Rural, DEAER – CCR – UFSM, v. 20, n. 1, p. 27-36, jan./mar. 2014.

SCHNEIDER, S.; MENEZES, M.A. 2014. “Inovação e atores sociais”. In: SCHNEIDER, S.; MENEZES, M.A.; SILVA, A.G. da. BEZERRA, I. (Org.). Sementes e brotos da transição: inovação, poder e desenvolvimento em áreas rurais do Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, p.13-12.

SCHNEIDER, S.; MENEZES, M.A.; SILVA, A.G. da; BEZERRA, I. “Semeando sementes e cultivando brotos”. In: SCHNEIDER, S.; MENEZES, M.A.; SILVA, A.G. da; BEZERRA, I. (Org.). Sementes e brotos da transição: inovação, poder e desenvolvimento em áreas rurais do Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2014. p.07-12.

SINDITABACO – Sindicato da Indústria do Tabaco. 15 maiores produtores de tabaco. Disponível em http://www.sinditabaco.com.br/sobre-o-setor/infograficos/. Acesso em 28 de agosto de 2019.

TRICHES, R. M. et al. O Programa de Alimentação Escolar nutrindo o desenvolvimento: ideias e relações inovadoras. In: SCHNEIDER, S. et al. (Org.). Sementes e brotos da transição: inovação, poder e desenvolvimento em áreas rurais do Brasil. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2014. p. 115-139.

Downloads

Publicado

2020-01-10

Como Citar

da Silva, L. X., De Dios Hernández, D., & Madera Pacheco, J. A. (2020). A geração de conhecimento e as inovações sócio-organizativas da agricultura familiar: O caso de Dom Feliciano, RS. Redes (St. Cruz Do Sul Online), 25(1), 164-188. https://doi.org/10.17058/redes.v25i1.14100

Edição

Seção

Geração de Conhecimento e Inovação na Agricultura Familiar