Uma leitura territorial e escalar dos processos inovadores da transição agroecológica em dois municípios do Vale do Paraíba e do Litoral Norte de São Paulo, Brasil

Autores

  • Maciej John Wojciechowski Universidade Federal do ABC - Sâo Paulo
  • Arilson Favareto Universidade Federal do ABC
  • Silvia Moreira Rojo Vega Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Ubatuba – São Paulo
  • Isabel Fernandes Pinto Viegas Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Ubatuba – São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v25i1.14639

Palavras-chave:

Transição agroecológica. Inovação. Coalizões Sociais. Escala.

Resumo

A aplicação das teorias de transição sociotécnica às práticas dos Sistemas Agroalimentares Alternativos (SAA) tem permitindo aprofundar o entendimento dos processos de inovação desencadeados pela rede de atores durante a transição agroecológica. Contudo estes modelos frequentemente reduzem a escala e o território a repositórios estáticos de ativos e passivos que determinam a escala do nicho agroecológico em relação ao regime alimentar corporativo dominante. Na tentativa de superar a leitura dual e de captar a multidimensionalidade da inovação implícita nos processos de transição agroecológica apresentamos um modelo analítico formulado a partir da articulação conceitual de elementos constitutivos da teoria das configurações territoriais, da construção social de mercados agroecológicos, da governança reflexiva e da escala como ação social estratégica. Aplicamos este modelo à análise das transições agroecológicas em curso em dois municípios do Vale do Paraíba e do Litoral Norte de São Paulo. Evidenciamos que as inovações tecnológicas e a geração de novos conhecimentos no processo de transição são tributárias das habilidades sociais dos atores envolvidos na construção de coalizões sociais amplas e de arenas reflexivas de governança capazes de traduzir os novos conhecimentos socio-técnicos disponíveis em práticas concretas, abrindo assim os espaços de manobra da transição agroecológica com inclusão produtiva da agricultura familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maciej John Wojciechowski, Universidade Federal do ABC - Sâo Paulo

Doutor em Planejamento e Gestão do Território.

Arilson Favareto, Universidade Federal do ABC

Professor Adjunto do Departamento de Análise Econômica para Ciência e Tecnologia - Programa Planejamento e Gestão do Território

Silvia Moreira Rojo Vega, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Ubatuba – São Paulo

Chefe da Seção Técnica da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Unidade Ubatuba.

Isabel Fernandes Pinto Viegas, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Ubatuba – São Paulo

Pesquisador científico nível IV da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Ubatuba

Referências

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de Indicadores Sociais. Uma análise das condições de vida da população brasileira, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo agropecuário 2017. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

BROWN, B. e PURCEL, M. Avoiding the Local Trap Scale and Food Systems in Planning Research. Journal of Planning Education and Research. Vol. 26, pp. 195-207, 2004.

BRUNORI, G.; ROSSI, A.; MALANDRIN, V. Co-producing transition: innovation processes in farms adhering to solidarity-based purchase groups (GAS) in Tuscany, Italy. International Journal of Sociology of Agriculture and Food. Vol. 18(1): 28-53, 2011.

BUAINAIN, A.M. Agricultura familiar, agroecologica e desenvolvimento sustentável: questões para debate. Brasília: IICA, 2006 136p.

COMITÊ DE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO LITORAL NORTE. CBH-LN. Relatório anual da situação dos recursos hídricos do Litoral Norte, 2017, 211p.

EMBRAPA. Marco referencial em agroecologia. Brasília: DF. EMBRAPA: Informação Tecnológica, 2006, 72p.

ESTADO DE SÃO PAULO. Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano, EMPLASA. Informações sobre a Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Disponível em: https://www.emplasa.sp.gov.br/RMVPLN. Acesso em: 10 maio 2019.

______. Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - SEADE. Informações dos Municípios: Cunha, São Luís do Paraitinga e Ubatuba. Indicadores Economicos e Demográficos. 1980-2018 www.perfil.seade.gov.b. Acesso em: 10 maio 2019.

______. Secretaria da Agricultura e Abastecimento. LUPA. Levantamento Censitário das Unidades de Produção agropecuária do estado de São Paulo, 2007-2008. Disponível em: http://www.cati.sp.gov.br/projetolupa/dadosmunicipais.php. Acesso em: 10/05/2019

FAVARETO, A. Paradigmas do desenvolvimento rural em questão. São Paulo: Iglu/Fapesp. 2007.

FAVARETO, A. et al. Territórios importam - bases conceituais para uma abordagem relacional do desenvolvimento das regiões rurais ou interioranas no Brasil. ReGis. Brasília, v. 1, p. 13-33, 2015.

FLIGSTEIN, N. AND DAUTER, L. The Sociology of Markets. Annual Review of Sociology 33: 105-28, 2007.

GEELS, F. W. Technological transitions as evolutionary reconfiguration processes: a multilevel perspectives and a case-study. Research Policy, Amsterdam, n.31, p. 1257-1274, 2002.

GLIESSMAN, S.R. Agroecology: Ecology of sustainable food systems. Boca Raton, FL: CRC/Taylor & Francis, 2007, 408p.

HINRICHS, C.C. The practice and politics of food system localization. Journal of Rural Studies. 19(1): 33–45, 2003.

HORLINGS, L.G.; MARSDEN, TK. Towards the real green revolution? Exploring the conceptual dimensions of a new ecological modernization of agriculture that could feed the world. Global Environmental Change. Vol. 21: 441-452, 2011.

KOOIMAN, J. Governing as Governance. London: Sage, 2013, 249p.

MARCHIORI, A. C. C. ; VEGA, S. M. R. ; VIEGAS, I.F.P. ; TURCO, P. H. N. ; OTANI, M. . Elaboração do Plano de Etnodesenvolvimento Sustentável de Duas Comunidades Tradicionais em Ubatuba, Litoral Norte de São Paulo - Diagnóstico Lento Participativo. 52º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural., 2014, Goiânia. 2014.

MARSDEN, T. From post-protectionism to reflexive governance: contested transitions in securing more sustainable food futures. Journal of Rural Studies 29 pp. 123–134, 2013.

MARSDEN, T. Exploring the Rural Eco-Economy: Beyond Neoliberalism. Sociologia Ruralis, Vol 56, Number 4, October. 598-615, 2016.

MARSDEN, T.; SONNINO, R. Rural development and the regional state: denying multifunctional agriculture in the UK. Journal of Rural Studies. Vol. 24: 422-431, 2008.

NIEDERLE, P.A. Transições no sistema agroalimentar. XI Congresso da Sociedade Brasileria de Sistemas de Produção. Abordagem sistêmica e sustentabilidade: produção agropecuária, consumo e saúde. 06 a 08 de julho, Universidade Federal de Pelotas, 2016

NIEDERLE, P.A. Afinal, que Inclusão produtiva? A contribuição dos novos mercados alimentares. Em: Delgado, Guilherme Costa. Bergamasco, Sonia Maria Pessoa Pereira (orgs.) Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE UBATUBA. Plano Diretor Municipal Participativo. 2006. https://www.ubatuba.sp.gov.br/planodiretor. Acesso em: 5 maio 2019.

RENTING, H. ET AL. Exploring multifunctional agriculture. A review of conceptual approaches and prospects for an integrative transitional framework. Journal of Environmental Management. Vol. 90: 113 – 123, 2012.

ROEP, D.; WISKERKE, J.S.C. Reflecting on novelty production and Niche Management in Agriculture. In: Seeds of Transition. J.S.C. Wiskerke nd J.D va der Ploeg (eds.), 2004, 356p.

ROJO VEGA, S. M.; MARCHIORI, A. C. C.; CASTRO, C. E. F.; VIEGAS, I.F.P.; FIRETTI, R. Redes de propriedades de referência em sistemas de produção agroecológicos em Ubatuba, SP. 51º CONGRESSO DA SOBER. Anais..., Belém, PA, 2013.

SCHMITT, Cláudia. Transição agroecológica e desenvolvimento rural: um olhar a partir da experiência brasileira. In: SAUER, S. e BALESTRO, M. (Org.). Agroecologia e os desafios da transição agroecológica. São Paulo: Expressão Popular, 2009. p. 177-204.

SONNINO, R.; MARSDEN, T. Beyond the divide: rethinking relationships between alternative and conventional food networks in Europe. Journal of Economic Geography. Vol. 6: 181-199, 2006.

SWYNGEDOUW, E. Scaled geographies: nature, place and the politics of scale. In E.

Downloads

Publicado

2020-01-10

Como Citar

Wojciechowski, M. J., Favareto, A., Moreira Rojo Vega, S., & Fernandes Pinto Viegas, I. (2020). Uma leitura territorial e escalar dos processos inovadores da transição agroecológica em dois municípios do Vale do Paraíba e do Litoral Norte de São Paulo, Brasil. Redes (St. Cruz Do Sul Online), 25(1), 59-83. https://doi.org/10.17058/redes.v25i1.14639

Edição

Seção

Geração de Conhecimento e Inovação na Agricultura Familiar