Cinemas de rua ao longo do Vale do Rio Tijucas (SC): expressões da cultura e marcadores do desenvolvimento regional

Renata Rogowski Pozzo, Luís Eduardo Candeia

Resumo


O presente artigo parte de uma investigação sobre o circuito exibidor de cinemas de rua do Vale do Rio Tijucas (SC), localizado no litoral centro-norte catarinense, questionando como aspectos relativos à abertura, ao funcionamento e ao fechamento dessas salas conectam-se com o processo de desenvolvimento regional deste território entre as décadas de 1920 e 1970. Ao longo do Vale do Rio Tijucas, estiveram em funcionamento durante o século XX seis salas de cinema de rua: os Cines Manoel Cruz (1926/193-) e Lohse (195-/19--) em Tijucas; os Cines Canelinha (1956/19--) e Astória (1953/19--), em Canelinha; o Cine São João (196-/1979) em São João Batista e; o Cine Lindoia (1954/19--), em Nova Trento. A hipótese é que a implantação deste circuito é manifestação cultural da sociedade e as salas podem ser abordadas como importantes marcadores do desenvolvimento regional. A análise da formação desse circuito exibidor revela um processo de desenvolvimento regional complexo, com continuidades e descontinuidades históricas, resultado de múltiplas determinações concernentes à configuração regional. Metodologicamente, a pesquisa partiu da ordem próxima, as salas de cinema tomadas em sua particularidade e, a partir de uma análise histórica sobre cada uma delas, chegou-se às questões de ordem mais ampla, ou seja, as questões de desenvolvimento regional. Os levantamentos empíricos foram analisados à luz de pesquisas históricas e teóricas acerca de três campos: o desenvolvimento regional catarinense, a geografia do cinema e o debate acerca da relação entre cinema, cultura e desenvolvimento.

Palavras-chave


Desenvolvimento regional. Sala de cinema de rua. Vale do Rio Tijucas (SC).

Referências


ANJOS, Manoel dos. Tijucas: um pouco de sua história. Tijucas: Telles, 2009.

BASTOS, José Messias. Urbanização, comércio e pequena produção mercantil pesqueira na Ilha de Santa Catarina. Ensaios sobre Santa Catarina. Florianópolis: Letras Contemporâneas, p. 127-40, 2000.

ALMEIDA, Paulo Sérgio; BUTCHER, Pedro. Cinema, desenvolvimento e mercado. São Paulo: Aeroplano, 2003.

AUTRAN, Arthur. O pensamento industrial cinematográfico brasileiro. Tese de Doutorado apresentado ao Programa de Pós-graduação em Multimeios, Instituto de Artes. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2004.

BATISTA, Bhrenda Ketlyn; CANDEIA, Luís Eduardo; DALLABRIDA, Willian Sartor. Espaço e Cultura: as antigas salas de cinema de rua de Santa Catarina. XV Simpurb - Simpósio Nacional de Geografia Urbana. Salvador, 2017. Disponível em: . Acesso em

/08/2020.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. SP: Companhia das Letras, 2009.

BERNARDET, Jean-Claude. Historiografia clássica do cinema brasileiro: metodologia e pedagogia. São Paulo: Annablume, 2008.

BONA, Rafael Jose. Do Teatro Frohsinn aos cinemas do shopping: a história do cinema em Blumenau. In: REIS, Clóvis (Org.). Realidade regional em comunicação: perspectivas da comunicação no Vale do Itajaí. Blumenau: Edifurb, 2009.

BRASIL. Ministério da Cultura. Plano da Secretaria da Economia Criativa:

políticas, diretrizes e ações, 2011 – 2014. Brasília, 2011.

Disponível em:

. Acesso em 28/08/2020.

CALIL, Carlos Augusto. Cinema e Indústria. In: Xavier, Ismail (org.). O cinema no século. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

CAMPOS, Ademar; BARENTIN, Leopoldo. Fatos e fotos da história tijuquense. Tijucas: 1994.

CAPOVILLA, Maurice. Cinema nacional: problema que o governo tem que resolver. Jornal Última Hora. 30 de setembro de 1963. Fonte: Acervo de Livros e Documentos da Cinemateca Brasileira. Biblioteca Paulo Emílio Sales Gomes.

CINEMAFALDA. [Blog]. Relação de cinemas antigos de Rua do Brasil em atividade nos anos 1960. Tijucas. 2013. Disponível em: < http://cinemafalda.blogspot.com/search?q=tijucas>. Acesso em 15/08/2020.

CHARNEY, Leo e SCHWARTZ, Vanessa R.(Org.). O cinema e a invenção da vida moderna. Tradução: Regina Thompson. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

ESCOREL, Eduardo. Adivinhadores de água: pensando o cinema brasileiro. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

FARIAS, Miriany. Cinema com 500 poltronas fez sucesso das décadas de 60 e 70 em São João Batista. O Município [Site de notícias]. 17/03/2019. Disponível em: < https://omunicipio.com.br/cinema-de-sao-joao-batista-fez-sucesso-nos-anos-60-e-70/>. Acesso em 28/08/2020.

FERRAZ, Talitah. Entre arquiteturas e imagens em movimento: cinemas, corporeidades e espectação cinematográfica na Tijuca. Logos 32. Ano 17, n.1, 2010. Disponível em: < https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/logos/article/view/549>. Acesso em 27/08/2020.

FURTADO, Celso. Ensaios sobre cultura e o Ministério da Cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

GATTI, André Piero. Distribuição e exibição na indústria cinematográfica brasileira (1993 - 2003). Tese de Doutorado. Instituto de Artes da UNICAMP. Campinas - SP, 2005.

GOMES, Paulo Emílio. Uma situação colonial? In: Crítica de Cinema no Suplemento Literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

GONZAGA, Alice. Palácios e Poeiras: 100 anos de cinema no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura, Funarte, Record, 1996.

IBGE. Acervo dos Trabalhos de Campo. Tijucas [Fotografia]. 1953. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/>. Acesso em 20/08/2020.

LUKINBEAL, Chris; ZIMMERMANN, Stefan. Film Geography: a new subfield. Erdkunde, n. 60, 2006.

MAMIGONIAN, Armen. Vida Regional em Santa Catarina. In: Orientação. IGEO/USP, set.1966.

MELEIRO, Alessandra (Org.). Cinema e Economia Política. São Paulo: Escrituras, 2009.

MOREIRA, Tiago de Almeida. Geografia e Cinema no Brasil – revisão

bibliográfica. 2011. Disponível em: . Acesso em 28/08/2020.

MULLER, Yasmin Lopes Muller; POZZO, Renata Rogowski. Cartografias do cinema: o protagonismo de Blumenau no contexto catarinense. XV Simpurb - Simpósio Nacional de Geografia Urbana. Salvador, 2017. Disponível em: . Acesso em 20/08/2020.

MUNARIM, Ulisses. Arquitetura dos cinemas: um estudo da modernidade em Santa Catarina. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-graduação em Urbanismo História e Arquitetura.

Florianópolis, 2009.

NOVA TRENTO (Prefeitura). [Site Oficial]. Histórico. 07/07/2014. Disponível em: < https://www.novatrento.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/37323>. Acesso em 20/08/2020.

O ESTADO. Ano XLI, n. 11944. Florianópolis, 21/01/1951. Disponível em: < http://hemeroteca.ciasc.sc.gov.br/oestadofpolis/estadof1915.html>. Acesso em 26/08/2020.

ORTIZ, Renato. Cultura e desenvolvimento. Políticas culturais em revista, v. 1, n. 1, 2008.

PINHEIRO, Marinete; FISCHER, Neide. Salas de sonhos: memórias dos cinemas de Mato Grosso do Sul. Campo Grande: Editora da UFMS, 2008.

POZZO, Renata Rogowski. Uma Geografia do Cinema Brasileiro: bloqueios internacionais, contradições internas. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Florianópolis, SC, 2015

______. A cotidianidade do cinema. Contracampo, V. 36, n. 3, 2017. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.22409/contracampo.v36i3.1002>. Acesso em 16/08/2020.

RAMBO, Gabriela Carolina Dreyer; VIANA, Alice de Oliveira; candeia, Luís Eduardo; BATISTA, Bhrenda Ketlyn. Projeções da modernidade: a arquitetura das salas de cinema de rua de Santa Catarina. XVIII Enanpur – Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisa em Pós-graduação em Planejamento Urbano e Regional. Natal, 2019. Disponível em: . Acesso em 20/08/2020.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da TV. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SANTA CATARINA (Estado). Secretaria de Planejamento. Levantamento aerofotográfico de 1957.

SANTA CATARINA. Departamento Estadual de Geografia e Cartografia. Atlas Geográfico de Santa Catarina. Florianópolis, 1958.

SÃO JOAO BATISTA (Prefeitura). [Site Oficial]. História. 21/03/2017. Disponível em: < https://www.sjbatista.sc.gov.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/92318>. Acesso em 20/08/2020.

SILVA, Hadija Chalupe. O Filme nas Telas: a distribuição do cinema nacional. São Paulo: Terceiro nome, 2010.

SIMIS, Anita. Estado e cinema no Brasil. São Paulo: Annablume; Fapesp, 1996.

STEFANI, Eduardo Baider. A geografia do cinema no lazer paulistano contemporâneo: redes e territorialidades dos cinemas de arte e multiplex. Dissertação de Mestrado em Geografia, USP, 2009.

UNESCO. Cultura e Desenvolvimento. Havana, 2013. Disponível em: . Acesso em 20/08/2020.

VIEIRA, João Luiz e PEREIRA, Margareth Campos da Silva. Espaços do sonho: arquitetura dos cinemas no Rio de Janeiro 1920-1950. Rio de Janeiro, 1982.

VOLTOLINI, Agostinho Cesar. Livro on line família Voltolini. História das famílias Voltolini vindas para Santa Catarina. 2012. Disponível em: < voltolinisc.blogspot.com>. Acesso em 11 de mar. de 2020.

ZANLUCA, Izabela. Rios Urbanos e as bacias hidrográficas: impasses e integração no Vale do Rio Tijucas. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de pós-graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade. Florianópolis, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v26i0.15676

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo