A “história” do atraso brasileiro uma releitura de Celso Furtado e Raymundo Faoro na ótica da nova economia institucional de Douglass North

Clério Plein

Resumo


O objetivo do ensaio é buscar, nas obras de Celso Furtado e Raymundo Faoro, explicações para o atraso brasileiro que, atualmente, ainda pode ser percebido em função da pobreza e desigualdades sociais que afetam uma grande parcela da população. Trata-se de um ensaio teórico e o método consiste numa releitura desses intérpretes do Brasil com base num terceiro autor (Douglass North), representante do que se convencionou chamar de Nova Economia Institucional. Como principal conclusão, destaca-se que os três autores, ao analisarem os problemas que afetam o desenvolvimento de um país, possuem em comum a ênfase nas instituições, na história e no papel das elites.

Palavras-chave


Desenvolvimento. Instituições. Problemas estruturais. Estamento burocrático.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/redes.v20i3.3711

Flag Counter

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo