A Síndrome de Ulisses ou a doença da memória em Santiago Gamboa

Luiza Santana Chaves, Cléudia de Souza Jardim

Resumo


Apresentamos neste artigo uma reflexão sobre a diáspora contemporânea na obra El Síndrome de Ulises (2005) do escritor colombiano Santiago Gamboa, comentando principalmente as diferenças entre a imigração e o exílio, figuradas na narrativa pelas personagens do colombiano Esteban e do coreano Jung. Analisamos o lugar da enunciação hispano-americana no panorama literário universal a partir dos embates entre local / global em meio ao que Santiago Gamboa demonstra ser as vivências dos “Ulisses” contemporâneos, seres invisíveis, sobrevivendo em sociedades prósperas que os ignoram das mais diferentes formas. El Síndrome de Ulises é, pois, um romance ficcional construído em torno dos fenômenos diaspóricos contemporâneos e dos conflitos identitários surgidos em decorrência desses deslocamentos.

Palavras-chave


Literatura hispano-americana. Diáspora. Memória. Identidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v40i69.5828

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo