Políticas culturais, indicadores e Comunicação Pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v26i0.15769

Palavras-chave:

Prestação de contas. Gestão pública. Políticas públicas. Comunicação.

Resumo

A proposta do estudo é problematizar a produção e comunicação de informação pública e a configuração de indicadores culturais com vista ao desenvolvimento de instrumentos e novos formatos de disponibilização e interação nas práticas governamentais. O paper procura articular os conceitos de política cultural, indicadores culturais e Comunicação Pública e apresentar uma proposta de modelo interpretativo para a configuração de indicadores culturais a partir de um case study em Portugal. Conclusivamente, o estudo aponta que, através de práticas de Comunicação Pública, os indicadores são (i) reconhecidos enquanto ato comunicacional que (ii) potencializam as ferramentas de transparência e de prestação de contas sobre as práticas dos entes governamentais.

Biografia do Autor

Tiago Costa Martins, Universidade Federal do Pampa

Professor no Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e no Programa de Pós-graduação Comunicação e Indústria Criativa, Universidade Federal do Pampa, Brasil. Pesquisador produtividade em pesquisa – PQ2 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, Brasil. Investigador colaborador no Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória - CITCEM, Observatório das Indústrias Criativas (ObCreI.pt), Uporto, Portugal.

Maria Manuela Gomes de Azevedo Pinto, Universidade do Porto

Doutorada em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais pela Universidade do Porto e Universidade de Aveiro. Professora Auxiliar da FLUP, docente nos cursos de Licenciatura em Ciência da Informação, Licenciatura em Ciências da Comunicação, Mestrado em Ciência da Informação, Mestrado em Museologia, Mestrado em Comunicação e Gestão de Indústrias Criativas, Mestrado em Comunicação e Gestão de Indústrias Criativas e Doutoramento em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais.

Armando Manuel Barreiros Malheiro da Silva, Universidade do Porto

Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Docente da Licenciatura em Ciência da Informação e do Programa Doutoral Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, de cujas Comissões Científicas é membro. É membro do CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória onde coordena o grupo de investigação “Cultura Digital”.

Referências

BOHNER, Louis. Indicators of Cultural Development within the European context. França: Unesco, 1979.

BRANDÃO, Elizabeth Pazito. Conceito de Comunicação Pública. In: DUARTE, Jorge. (org.). Comunicação Pública: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. São Paulo: Atlas, 2009. (p. 1 – 33).

BRASIL. Produto 4: Guia referencial para medição de desempenho e manual para construção de indicadores. Brasília: Secretaria de Gestão, Ministério do Planejamento, 2009.

CANCLINI, Néstor García. Definiciones en transición. In: MATO, Daniel Mato. Cultura, política y sociedad Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

CARRASCO-ARROYO, Salvador Carrasco. Indicadores culturales: una reflexión. Econcult, 1999. Disponível em: http://www.uv.es/carrascs/PDF/indicadoresCult.pdf. Acesso em: 14/5/2016.

COELHO, Vera Schattan Ruas Pereira. Abordagens qualitativas e quantitativas na avaliação de políticas públicas. In: SESC/CEBRAP. Métodos de pesquisa em Ciências Sociais: Bloco Quantitativo. São Paulo: Sesc/CEBRAP, 2016.

COSTA, António Firmino da. Políticas Culturais: conceitos e perspectivas. OBS – Revista do Observatório das Actividades Culturais, Lisboa, n. 02, p. 01-06, out., 1997.

DUARTE, Jorge. Instrumentos de Comunicação Pública. In: DUARTE, Jorge. (org.). Comunicação Pública: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. São Paulo: Atlas, 2009. (p. 59 – 71).

______. Comunicação Pública. In: SILVA, Luiz Martins da (Org.). Comunicação Pública: algumas abordagens. Brasília: Casa das Musas, 2010.

EUROPEAN STATISTICAL SYSTEM NETWORK ON CULTURE (ESSNET-CULTURE). Final report. Luxembourg: European commission, 2012.

FUKUDA PARR, Sakiko. En busca de indicadores de cultura y desarrollo: avances y propuestas. IN: UNESCO. Informe Mundial sobre la cultura 2000-2001. Paris: UNESCO, 2000.

Fundação Francisco Manuel dos Santos. A PORDATA. Disponível em: https://www.pordata.pt/Sobre+a+Pordata. Acesso em: 25 de fevereiro 2018.

______. Base de Dados Portugal Contemporâneo. Disponível em: https://www.pordata.pt. Acesso em: 25 de fevereiro 2018.

HELLMANN, Aline; et al. Desenvolvendo capacidade para monitorar e avaliar: o caso do SAGI/MDS. IN: MADEIRA, Lígia Mori (org.). Avaliação de Políticas Públicas. Porto Alegre: UFRGS/CEGOV, 2014.

Instituto Nacional de Estatística – INE. Institucional. Disponível em: https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_cont_inst&INST=53870&xlang=pt. Acesso em: 25 de fevereiro 2018.

______. Base de dados. Disponível em: https://www.ine.pt. Acesso em: 25 de fevereiro 2018.

JANNUZZI, Paulo de Martino. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. RAP Rio de Janeiro 36(1), p. 51-72, Jan./Fev. 2002.

______. Indicadores Sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. Campinas: Editora Alínea, 2017.

MATOS, Heloisa. Capital social e comunicação: interfaces e articulações. São Paulo: Summus, 2009.

MARTINELL, Alfons. Los agentes culturales ante los nuevos retos de la gestión cultural. Revista Ibero-americana de Educación. n. 20, p. 201-215, may/ago., 1999.

MARTINS, Tiago Costa. Indicadores Culturais: em busca de um mecanismo para o controle social das ações governamentais. Relatório final pesquisa pós-doutoramento. CIC.DIGITAL/FLUP. Porto, Portugal: Uporto, 2018.

MARTINS, Tiago Costa; PINTO, Maria Manuela. História, escolas e movimentos dos indicadores culturais. Políticas Culturais em Revista. Salvador, v. 12, n. 1, p. 329-359, jan./jun. 2019

RAMOS, Marília Patta; SCHABBACH, Letícia Maria. O estado da arte da avaliação de políticas públicas: conceituação e exemplos de avaliação no Brasil. Rev. Administração Pública, Rio de Janeiro, n.46, v. 5, p. 1271-294, set./out. 2012.

REIS, Paula Félix dos. Estado e Políticas Culturais. Anais do II Seminário Internacional Políticas Culturais. Fundação Casa Rui Barbosa, Rio de Janeiro, 2011, p. 1-17.

SECCHI, Leonardo. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

SILVA, Armando Malheiro da. A informação: Da compreensão do fenómeno e construção do objecto científico. Porto: Edições Afrontamento, 2006.

TABER, Micaela. Indicadores culturales: qué, por qué y para qué medir. Sistema de Información cultural – SIC México, 2005. Disponível em: < https://sic.gob.mx/ficha.php?table=centrodoc&table_id=311&disciplina= >. Acesso em: 10 de mar. 2017.

Edição

Seção

Comunicação, Cultura e Desenvolvimento Regional