Signo

Revista do Curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras - Mestrado e Doutorado, vinculados ao Departamento de Ciências, Humanidades e Educação, da Universidade de Santa Cruz do Sul. Revista Signo é A2 no Qualis CAPES 2014 (2010-2012) e B1 no Qualis CAPES 2015 (2013-2016).

A revista Signo é publicada pelo Centro de Estudos e Pesquisas Linguísticas e Literárias - CEPELL, ligado ao Curso de Letras e ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UNISC.

Signo circula desde 1975, com periodicidade semestral. A versão impressa da revista circulou de 1975 a 2006, com o ISSN 0101-1812. A partir de 2007, a revista passou a ter apenas versão eletrônica, sob o e-ISSN 1982-2014. Em 2016, Signo passou a ser quadrimestral.

A revista divulga estudos inéditos, de caráter teórico ou aplicado, na área de Literatura e Linguística e suas interfaces. A publicação de edições temáticas fica a critério da Equipe Editorial. A Signo não cobra dos autores taxas para submissão, avaliação e publicação dos artigos, apoiando políticas de acesso livre.

Atualmente, a revista Signo está indexada nas seguintes bases:
Diretórios
1. DOAJ - www.doaj.org
2. Diadorim - diadorim.ibict.br
3. Crossref - search.crossref.org/
4. Latindex - www.latindex.org
5. ProQuest Linguistics and Language Behavior Abstracts - www.proquest.libguides.com/llba
6. Google Acadêmico - https://scholar.google.com.br/
Base de Dados
1. Sumários.Org - www.sumarios.org
Catálogos
1. Portal .periodicos. Capes - www-periodicos-capes-gov-br
2. LivRe - www.cnen.gov.br

Notícias

 

Chamada Signo: v. 46, número 86: Programa Ler para Aprender (LPA) e seu potencial pedagógico

 
O Programa Ler para Aprender (LPA), em inglês Reading to Learn (R2L), surgiu na Austrália no final da década de 1990 com o propósito de enfrentar um dos problemas centrais para a educação na época (e por que não dizer de todas as épocas): a participação desigual dos estudantes nas atividades de aprendizagem na escola durante as práticas de leitura e escrita, provocada por vários fatores, dentre eles a origem familiar e a classe social. Rose e Martin (2012) argumentam que a desigualdade educacional persistia porque a abordagem dominante não ensinava explicitamente as habilidades necessárias para o letramento.  
Publicado: 2020-11-03 Mais...
 
Outras notícias...

v. 46, n. 86 (2021)

Sumário

Apresentação

Apresentação
Karen Santorum, Andrés Ramírez, Lucia Rottava
PDF
1-6

v. 46, número 86: Programa Ler para Aprender (PLA) e suas potencialidades

Lucia Rottava, Sulany Silveira dos Santos, Izadora Chagas Troian
PDF
7-22
Cristiane Fuzer, Anidene de Siqueira Cecchin
PDF
23-41
Wagner Rodrigues Silva, Jaquelene Mendes, Marcia Helena Costa Ribeiro
PDF
42-59
Maria do Rosário da Silva Albuquerque Barbosa, Érika Regina dos Santos Silva
PDF
60-73
María Lorena Bassa Figueredo, Estela Ines Moyano
74-85
Carolina Andrea Mirallas
86-102
Andrew Glencairn Scott, Tanja Hafenstein
103-120
Sabrine Weber
PDF
121-129
Florencia Gimena Nieto
130-146
Victor Menco-Haeckermann
147-163
Margarita Vidal Lizama
164-178
Teresinha Penaforte Vieira, Pedro Henrique Lima Praxedes Filho
PDF
179-191

Resenha

Ana Paula Carvalho Schmidt, Jane Aparecida Florêncio
PDF
192-196
Orlando Vian Jr
PDF
197-198